Assine Já
sexta, 03 de julho de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
15ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 325 Confirmados: 2946 Óbitos: 179
Suspeitos: 325 Confirmados: 2946 Óbitos: 179
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 260 584 40
Armação dos Búzios X 246 6
Arraial do Cabo 11 73 11
Cabo Frio X 922 58
Iguaba Grande 13 207 20
São Pedro da Aldeia 32 443 16
Saquarema 9 471 28
Últimas notícias sobre a COVID-19
Educação

Alair afirma que grevistas da Educação serão pagos por último

No seu blog, prefeito diz que prioridade é para quem não aderiu ao movimento; Sepe fala em "aberração"

13 junho 2016 - 23h03Por Rodrigo Branco
Alair afirma que grevistas da Educação serão pagos por último

Em nova postagem nas redes sociais e no seu blog pessoal, o prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa, anunciou que vai priorizar o pagamento de funcionários da Educação que não aderiram à greve na rede municipal iniciada ontem. Ele novamente atribuiu a dificuldade de manter os salários em dia à aprovação do Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações (PCCR), em 2013.

– Comunicamos aos funcionários que permaneceram no trabalho que começaremos o pagamento por vocês. Em tempo: ressaltamos que não pagamos os salários em dia, porque nossa arrecadação não permite que o façamos. Nossa folha de servidores é de R$ 37 milhões e a arrecadação mensal é de R$ 34 milhões. Antes do PCCR a folha de pagamento dos servidores era de R$ 25 milhões e a arrecadação de R$ 55 milhões. Tínhamos R$ 30 milhões além das despesas com funcionários. Hoje, para pagarmos os servidores, temos R$ 3 milhões a menos – postou.

Assim como já tinha feito, o prefeito disse ainda que “os professores sabem” que o maior volume de recursos do Fundeb chega aos cofres na terceira semana de cada mês. Ele criticou ainda a greve, chamando-a de “política”, e a pressão para barrar o empréstimo na Câmara.

– Se não fosse assim, não ficariam pernoitando na porta da Câmara para a cidade não ter o empréstimo que tem direito por lei. Sabem que com dinheiro eu pago aos funcionários todos os seus direitos e a Greve acaba, isso é o que menos eles querem – escreveu.

A diretora de imprensa do Sepe, Denise Teixeira, refutou as críticas de Alair e reafirmou que a data de quinto dia útil para pagamento foi decidida na Justiça.

– É uma aberração quando ele diz que vai pagar primeiro quem não está greve, mesmo porque isso caracteriza perseguição por greve e perseguição política. É crime, assédio e vai ser tratado como tal – respondeu, afirmando ter levado o caso ao corpo jurídico do sindicato.