Assine Já
sábado, 23 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

A turma que se orgulha de sacudir a poeira

Funcionários da Comsercaf ressaltam importância da turma que deixa a cidade limpa

16 maio 2019 - 08h44
A turma que se orgulha de sacudir a poeira

RODRIGO BRANCO

 Em um dia como o de ontem, em que os resquícios de um temporal ficaram espalhados por toda a cidade, a importância deles ficou ainda mais evidente. Mas no dia a dia, o trabalho desses profissionais é considerado fundamental, por um questão não apenas de estética, mas de saúde pública. Os coletores de resíduos sólidos, ou simplesmente garis, tem hoje como data de homenagem marcada no calendário civil, mas diariamente, em qualquer condição climática, eles marcam presença nas ruas e praias.

Em Cabo Frio, o serviço é feito pela Comsercaf, que possui 992 funcionários para fazer a limpeza e remoção do lixo dos logradouros da cidade. A rotina é pesada, mas nem por isso, a turma de laranja (alusão à cor dos uniformes) perde o bom humor. Pelo contrário, os coletores ouvidos pela reportagem sentem-se privilegiados e orgulhosos de poder cuidar de uma cidade turística.


Emerson Luiz de Souza tem 36 anos e oito na autarquia, onde atua como encarregado de uma equipe que faz a limpeza da Praia do Forte. O grupo de 20 homens chega por volta das 17h30 e em cerca de uma hora e meia dão conta de cascas de coco e dos outros resíduos que impregnam a faixa de areia após a saída dos banhistas do local. Mas quando o movimento em grande, como na alta temporada, os trabalhadores deixam o local apenas por volta das 23 h. Para Emerson, ver o principal cartão postal da cidade limpo é a sensação de dever cumprido.

– O orgulho maior é quando vem o turista e vem elogiar o nosso trabalho. Eu atribuo isso aos rapazes da equipe que metem a mão na massa – afirma o rapaz.

A citação aos visitantes não é por acaso. Os trabalhadores acreditam que as pessoas de fora da cidade valorizam mais o trabalho do que a população local. Mas é só uma constatação, a declaração não é em tom de lamento. A cordialidade ‘forasteira’ normalmente costuma render não apenas elogios, mas um trocado para os rapazes, em forma de gorjeta pelo empenho.

O gari Alex João da Silva, de 30 anos e dois de empresa, já recebeu R$ 100 de um turista por devolver um objeto de valor. Não é raro encontrar coisas perdidas na praia. O próprio Alex entregou um iPhone 7 para uma família de Minas Gerais dia desses. Gorjetas e elogios à parte, o amor próprio dos trabalhadores não tem preço.   

– Todo mundo já consegue enxergar a importância do nosso trabalho. Entendem que somos importantes para a imagem da cidade – analisa Gerivaldo da Silva Santos, de 31 anos e dois de Comsercaf.

– Somos tão importantes quanto um médico ou uma professor – orgulha-se Emerson, fazendo questão de citar Chico, o supervisor da turma. 
Os funcionários são divididos em 14 setores responsáveis pela limpeza dos bairros de Cabo Frio.  Além da varrição, ele atuam na capina e roçada de grama, coleta de lixo, desobstrução de bueiros, poda de árvores e pintura de meio fio.

O presidente da companhia Dario Guagliardi Neto afirma que os garis são primordiais para manutenção da limpeza, saúde e qualidade de vida da população. Ele diz que tem compromisso com a pontualidade no pagamento dos servidores, a avaliação de benefícios e com a contínua melhora nas condições de trabalho.

– Hoje é um dia muito importante para a nossa empresa, pois é a data em que nossos colaboradores vitais são homenageados. A Comsercaf sem o trabalho dos seus coletores perderia o propósito de ser. A todos estes trabalhadores que, faça chuva ou faça sol estão diariamente lutando por uma Cabo Frio mais limpa, fica registrado os meus parabéns e o meu muito obrigado – finaliza.