Assine Já
quarta, 23 de junho de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Alerj2
Alerj3
TEMPO REAL Confirmados: 43602 Óbitos: 1679
Confirmados Óbitos
Araruama 10812 339
Armação dos Búzios 5233 57
Arraial do Cabo 1501 83
Cabo Frio 11637 622
Iguaba Grande 4474 107
São Pedro da Aldeia 5916 260
Saquarema 4029 211
Últimas notícias sobre a COVID-19
Réveillon

700 mil pessoas celebram chegada de 2017 na Praia do Forte

Em Arraial, após cancelamento de show, nada de festa e muitas reclamações

01 janeiro 2017 - 13h45Por Redação | Reprodução de vídeo G1
700 mil pessoas celebram chegada de 2017 na Praia do Forte

De acordo com estimativas da Polícia Militar, cerca de 700 mil pessoas celebraram a chegada de 2017 na Praia do Forte, em Cabo Frio. Como a  segurança estava reforçada no local e o clima de paz era reinante, só houve o registro de uma briga entre dois homens, logo resolvida. Houve 12 minutos de queima de fogos, que foram disparados de quatro balsas ancoradas na enseada.

No palco montado na areia, o comando da festa ficou a cargo da Banda Rabuja, que tocou sucessos de vários gêneros, como o sertanejo universitário. Apresentaram-se para a multidão também a cantora Bruna Marvila e o DJ Leozinho. Também houve festa no Peró e em Unamar, no segundo distrito, ambas também custeadas pela iniciativa privada.

Em São Pedro da Aldeia, milhares de pessoas reuniram-se para comemorar o Ano Novo na Praia do Centro. Assim como em Cabo Frio, foram montadas quatro balsas de onde foram disparados os fogos de artifício. O espetáculo pirotécnico durou 13 minutos. O Réveillon aldeense foi embalado pelo grupo de pagode Nosso Sentimento e pelo DJ Bruno Cerveira.

Em Arraial, após cancelamento de show, desapontamento e críticas da população

Se nas cidade vizinhas, a alegria e a paz deram o tom dos festejos da virada, em Arraial do Cabo, houve o anticlímax. Após o cancelamento do show do cantor Emmerson Nogueira por falta de infraestrutura, sequer houve a tradicional queima de fogos, deixando frustradas as 200 mil pessoas que se aglomeraram para o evento, na Praia Grande. Sem uma contagem regressiva oficial, coube a cada um dos grupos de amigos e parentes contabilizar os segundos restantes para a chega de 2017.

O fato causou muita decepção nos moradores e turistas e, nas primeiras horas da madrugada, as redes sociais foram inundadas de postagens críticas à Prefeitura qualificando o Réveillon cabista deste ano como 'o pior da história da cidade'. O ex-prefeito interino Luciano Tequinho (PPS) chegou a  ser vaiado na cerimônia de posse do prefeito Renatinho Vianna (PRB). Nos distritos de Figueira e Monte Alto, apesar do grande número de pessoas, também não houve shows nem queima de fogos.