Assine Já
sexta, 30 de outubro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 9642 Óbitos: 492
Confirmados Óbitos
Araruama 1964 112
Armação dos Búzios 597 10
Arraial do Cabo 310 16
Cabo Frio 3128 168
Iguaba Grande 864 38
São Pedro da Aldeia 1494 72
Saquarema 1285 76
Últimas notícias sobre a COVID-19
brasil

Torcida faz festa verde e amarela em Cabo Frio com vitória do Brasil sobre Colômbia

Avenida Nilo Peçanha fica lotada; Alemanha é o próximo desafio, na terça-feira

05 julho 2014 - 00h47Por Sérgio Meirelles
Torcida faz festa verde e amarela em Cabo Frio com vitória do Brasil sobre Colômbia

Haja coração! Foram noventa e cinco minutos de nervosismo e apreensão. Mas quando o árbitro apitou o fim do jogo entre Brasil e Colômbia as centenas de pessoas que assistiam à partida num dos points mais badalados de Cabo Frio explodiram de alegria e comemoraram a vitória dançando ao som do funk “Show da Poderosa”. A quinta vitória da seleção brasileira na Copa do Mundo deu início a mais uma festa popular na cidade. Diferente das vezes anteriores, ontem, bares e praças da cidade ficaram lotados de torcedores brasileiros.

Parece que dessa vez os brasileiros estavam mesmo acreditando na seleção canarinho. Faltando poucas horas para o início do confronto, a área reservada para os torcedores, na Avenida Nilo Peçanha, próximo à Praia do Forte, já se encontrava lotada. As pessoas que deixaram para chegar ao local mais tarde tiveram dificuldade para encontrar um lugar para ver a partida.

Todos queriam se posicionar a frente do telão, mas era difícil encontrar um espaço. O sufoco foi agravado porque os donos de bares e restaurantes espalharam muitas mesas e cadeiras pela via transformando a rua num camarote privado. Quando a seleção da Colômbia começou a cantar o seu hino deu para ver que, no meio da multidão, havia duas solitárias colombianas. Com o mesmo entusiasmo do time de Felipão, os torcedores cantaram de pé o Hino Nacional do Brasil.

A torcida festejou muito os gols da seleção brasileira. Nem parecia os torcedores dos jogos anteriores que quando o Brasil ganhava comemorava a vitória de forma fria. No intervalo do jogo, as crianças se esbaldaram com o funk que saía das caixas de som. Os proprietários de restaurantes, dessa vez, não podem reclamar do movimento. Eles venderam muita comida e bebida. Os camelôs também se deram bem. 

Nos minutos finais da partida, quando o Brasil vencia por dois a um, uma mistura de nervosismo e otimismo tomou conta da galera presente. Todos queriam que o árbitro apitasse logo o fim do jogo para ver a nossa seleção classificada para a próxima fase da disputa e também para comemorar com muita festa. Não deu outra.

Num dos restaurantes, uma cena chamava a atenção de quem passava pelo local. Um casal de colombianos era assediado a todo instante  por torcedores brasileiros, mas de forma alegre e bem amistosa. Inicialmente cabisbaixo, após a derrota da seleção do seu país, o jardineiro Carlo Mário, de 55 anos, logo se recuperou do baque emocional e começou a comemorar a vitória do time brasileiro junto com “los hermanos” (os irmãos) da  Brasil.

– Fiquei triste com a derrota da Colômbia. Mas ao mesmo tempo feliz porque eu gosto do Brasil e da sua gente – disse Carlo Mário, que logo depois desta entrevista voltou a se confraternizar com os cabofrienses.  

A esposa de Carlo Mário, Luzia Cetea, de 50, parecia mais feliz com a vitória do Brasil do que triste com a eliminação da sua seleção, colombiana da Copa do Mundo. Com um copo de cerveja na mão, ela sorria, dançava e abraçava a todos que se aproximavam do casal.

– A Colômbia jogou bem, mas a seleção brasileira foi melhor. Agora, torcerei para o Brasil ser o campeão do mundo – festejou.