Assine Já
sexta, 25 de setembro de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8032 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1614 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 241 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1309 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabofriense

Sem jogar há cinco meses, Jorge Fabrício ansioso por retorno no futebol 7

Pivô da Cabofriense se recupera de uma grave lesão no tendão

30 setembro 2015 - 12h06

GABRIEL TINOCO

Faz bastante tempo que o pivô Jorge Fabrício não entra em campo com a camisa da Cabo­friense pela modalidade futebol 7. O atleta foi retirado dos gra­mados há cinco meses por conta de uma lesão no tendão do calcâ­neo. Quase recuperado, o atleta já começa os trabalhos com bola para vestir novamente a camisa do Tricolor Praiano.

– O médico falou que demo­raria cerca de seis meses para voltar a jogar. Na semana que vem, estarei voltando a treinar com bola. Tudo vai depender da minha evolução física, técnica e da necessidade do

treinador tam­bém, é claro – comenta.

Fabrício se consagrou nas quadras para depois atuar no campo sintético. O ala que ga­nhou títulos com a camisa da ADDP/Cabo Frio não sentiu muitas diferenças nas modalida­des e se adaptou rapidamente à nova função.

– Senti um pouco de diferen­ça, mais em relação ao piso e à bola. É uma questão de adap­tação mesmo. Taticamente, da maneira que nosso time jogava, tinha muita coisa em comum. Como a marcação, maneira como atacava, movimentos.

Expectativas não faltam para o retorno. Afinal, Fabrício não poupa elogios ao grupo que ga­nhou o primeiro turno do Esta­dual pela Cabofriense.

A expectativa é excelente. A equipe se reforçou, não é a mes­ma que levamos até as quartas de final da copa Rio no início do ano. Chegaram jogadores de qualidade, que, aliado aos que fi­caram, fortaleceram ainda mais o time e conseguiram a vaga para final do estadual, vencendo o primeiro turno. Estou bem ani­mado – afirma.

Na decisão do primeiro turno contra o Flamengo, Fabrício elo­giou as duas equipes.

Estive lá na final. achei mere­cido. Se não estou enganado, foi o melhor ataque contra a melhor defesa, com os dois times jogan­do dentro de suas características. O título estaria em boas mãos com qualquer uma das duas.