Assine Já
terça, 02 de março de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 26824 Óbitos: 919
Confirmados Óbitos
Araruama 6793 183
Armação dos Búzios 3201 32
Arraial do Cabo 865 38
Cabo Frio 7434 352
Iguaba Grande 2529 55
São Pedro da Aldeia 3551 126
Saquarema 2451 133
Últimas notícias sobre a COVID-19
Correão

Eliminada, Cabofriense deve jogar 'Torneio da Morte' no Correão

Estádio receberá reformas no fim de semana para sediar jogos do Carioca

26 janeiro 2017 - 10h55Por Gabriel Tinoco I foto: Divulgação (Andreia Maciel)
Eliminada, Cabofriense deve jogar 'Torneio da Morte' no Correão

Cabofriense precisa correr contra o tempo se quiser contar com o apoio da torcida na estreia do Grupo X – quadrangular que definirá os dois rebaixados à Série B do Estadual. O presidente Valdemir Mendes contratou uma empresa por conta própria para deixar o Correão em condições para receber o aval do Corpo de Bombeiros. O cartola projeta mudanças nas saídas de emergência, troca na tubulação e instalação de extintores. O próximo compromisso da Cabofriense será no próximo dia 4 (sábado), quando o time enfrenta o Bonsucesso, às 16h30.

No site da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), o jogo está marcado para o Correão, com um asterisco escrito “aguardando laudo de segurança”. Valdemir tirou dinheiro do próprio bolso para arcar com a reforma no estádio.

– Estou fazendo minha parte. Tenho que solicitar aos Bombeiros para o estádio ser aprovado. Depois dos serviços serem executados, chamaremos a corporação. Contratei uma empresa para deixar tudo pronto durante o fim de semana. Espero deixar tudo pronto até segunda que vem ou terça – comenta.

A Cabofriense não se classificou diretamente ao Carioca por pouco. O time empatou em número de pontos com o Nova Iguaçu (8), mas foi derrotado no saldo de gols: 4 a 3. O presidente admite que a ausência do Correão pode ter sido decisiva na classificação.

– Jogar longe do estádio sempre atrapalha. Posso até dizer que atrapalhou bastante. Fomos desclassificados por dois gols. Talvez, jogando em casa, estivéssemos passando por outro momento – avalia.