Assine Já
terça, 24 de novembro de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 11377 Óbitos: 530
Confirmados Óbitos
Araruama 2262 116
Armação dos Búzios 1000 16
Arraial do Cabo 364 16
Cabo Frio 3609 179
Iguaba Grande 1034 39
São Pedro da Aldeia 1693 75
Saquarema 1415 89
Últimas notícias sobre a COVID-19
Alexandre Cirne

Com apoio da torcida, Alexandre Cirne luta neste sábado (20)

Evento de MMA acontece na Associação Atlética Cabofriense a partir das 20 horas

20 maio 2017 - 15h22Por Gabriel Tinoco I Foto: Divulgação
Com apoio da torcida, Alexandre Cirne luta neste sábado (20)

Após duas semanas de preparo intenso no Rio, o peso-galo Alexandre Cirne (61 kg, 1,72m), 29 anos, está de volta. O cabofriense pisa novamente num octógono da cidade para enfrentar o mineiro Vinícius da Costa na Associação Atlética Cabofriense, no centro de Cabo Frio, hoje, às 20h. A entrada da Fight Week Championship custa R$ 30 (arquibancada) e R$ 50 (cadeira).

– É indescritível a sensação de lutar aqui. Sempre que tem evento na Região dos Lagos, me ofereço para lutar. Dessa vez, não foi diferente. Apesar de ter lutado há duas semanas, não medi esforços em conseguir um espaço no Card desse evento – revela Cirne.

O lutador também ressalta as dificuldades causadas pela falta de tempo.

– A dificuldade de entrar em cima da hora em um evento é arrumar outro atleta que esteja disposto a aceitar uma luta. Normalmente, o treinamento para uma determinada luta é de dois meses. Por isso, são poucos que se dispõem a lutar com 15 dias. Graças a Deus, a luta foi fechada, e terei a honra e a felicidade de lutar em casa, perto da família, amigos e conterrâneos – afirma.

Confiante, Alexandre precisa apenas de uma ‘noção’ do que está por vir antes de entrar no octógono.

– Conheci o adversário hoje, na encarada. Ainda não parei para assistir às lutas dele, mas sei que é um cara muito valente. Não costumo ficar muito preocupado com o que meu adversário tem a me oferecer. Vejo os vídeos apenas para ter uma noção do que está por vir. Preocupo-me mesmo é com o que farei. Luto para ser o ‘senhor das ações’ e trazê-lo ao meu jogo. Sempre me preparo e vou para uma luta esperando enfrentar o melhor. Ninguém entra no cage para perder. Os dois estão ali para buscar a vitória, e é justamente isso que farei: lutarei para definir e sair de lá com a vitória – dispara, sem papas na língua.

Para se manter em alto nível, Alexandre se aperfeiçoou em diversos fundamentos.

– Treino todos os fundamentos de luta que o MMA (artes marciais mistas) exige. Hoje, me vejo como um lutador de MMA. Sinto-me à vontade para lutar no alto, no chão e trocando quedas. Estou preparado para qualquer coisa dentro do cage. Será minha 14ª luta profissional. Levarei toda minha experiência adquirida nesses quase 5 anos como lutador profissional de MMA – finaliza.