Assine Já
quarta, 08 de julho de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
TEMPO REAL Suspeitos: 307 Confirmados: 3145 Óbitos: 189
Suspeitos: 307 Confirmados: 3145 Óbitos: 189
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 261 601 41
Armação dos Búzios X 266 7
Arraial do Cabo 9 83 11
Cabo Frio X 959 61
Iguaba Grande 13 218 20
São Pedro da Aldeia 17 500 18
Saquarema 7 518 31
Últimas notícias sobre a COVID-19
Flamengo

Cabofriense Felipe Vizeu é opção no ataque do Flamengo contra o Vasco

Jovem artilheiro tem responsabilidade de fazer time retomar caminho do gol e das vitórias

30 março 2016 - 10h35Por Gabriel Tinoco
Cabofriense Felipe Vizeu é opção no ataque do Flamengo contra o Vasco

Vestir a camisa do time do coração durante um Flamengo e Vasco é um sonho para muitos torcedores. O jovem atacante do Flamengo Felipe Vizeu experimenta pela primeira vez um jogo contra o arquirrival com um roteiro de pesadelo. O centroavante ganha mais uma oportunidade com a convocação do peruano Paolo Guerrero em meio à crise do time de maior torcida do país. O Flamengo enfrenta o Vasco hoje, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, às 21h45.

Felipe Vizeu entra em campo no pior cenário possível. No treino de anteontem, oito membro de uma torcida organizada invadiram o centro de treinamento Ninho do Urubu para cobrar explicações sobre os últimos resultados. O Flamengo não vence há quatro jogos, foi eliminado da Primeira Liga, perdeu para o desconhecido Confiança de Sergipe na estreia da Copa do Brasil e está fora da zona de classificação do Estadual. Para piorar a situação, os atacantes não vivem os melhores dias. O astro do time, Paolo Guerrero, tem os mesmos modestos três gols de Felipe Vizeu.

A seca preocupa bastante os torcedores na Gávea. O Flamengo não faz um gol desde a magra vitória por 1 a 0 diante do Madureira, em 12 de março. Desde então, o time empatou com o Fluminense e sofreu derrotas para Confiança, Atlético Paranaense e Volta Redonda: uma temporada até agora bem abaixo do esperado. Se não marcar hoje, serão 479 minutos sem estufar a rede.

Leia a matéria completa na edição desta quarta-feira da Folha dos Lagos.