Assine Já
domingo, 27 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabofriense enfrenta primeiro grande

Cabofriense enfrenta primeiro grande

Reencontro de Hungaro com o Botafogo é chance para encostar no G-4

21 fevereiro 2016 - 10h11
Cabofriense enfrenta primeiro grande

Na expectativa do jogo, Hungaro enfrenta o seu ex-clube em busca dos três pontos no Carioca

 

Foto: Andreia Maciel

 

Eduardo Hungaro ‘engatinhou’ em General Severiano. Após bom trabalho nas divisões de base, a chamada para treinar o time principal veio e, com ela, a experiência no futebol profissional. O técnico, no entanto, espera deixar o as recordações para trás neste domingo, quando Cabofriense e Botafogo se enfrentam, às 17h, em São Januário, no Rio de Janeiro. A partida é válida pela quinta rodada do Campeonato Carioca.

– Estamos a três pontos da zona de classificação, isto é, uma vitória no mínimo aproxima. Esse é o primeiro jogo que vamos contar com todos os jogadores inscritos, que ainda não estavam em condições de jogos por questões administrativas. Contando com todos, temos condições de fazer mais pontos e brigar pela classificação – diz.

O Hungaro aproveitou para elogiar a preparação física dos jogadores. O treinador garante que algumas oscilações da equipe são completamente naturais.

– Fisicamente a equipe está voando, correspondendo plenamente aquilo que foi trabalhado. Mas ainda preciso encontrar o nosso melhor jogo. Já fizemos bons momentos nesses quatro jogos, mas a equipe oscila um pouco, o que é natural, pelo tempo de existência e pela seguinte situação: jogadores estreando a cada rodada. A conjunção do meu trabalho com da equipe de preparação física foi muito bem feito e temos visto a equipe correr bastante nos jogos – afirma.

O reencontro também é o primeiro grande desafio da equipe no Carioca. Apesar de ocupar a modesta sexta posição, a Cabofriense está a três pontos do G-4.

– Foi um momento bacana da minha carreira. Poderei reencontrar amigos, jogadores com quem trabalhei na base, que hoje estão realizando um sonho de estar efetivamente no Botafogo. InternacioMas a minha vida hoje é a Cabofriense. Faremos de tudo para conseguir um bom resultado.
Ele deixou bem claro que o adverário tem qualidade, mas aposta nessa reta final de preparação para sair com a vitória.

– São meninos que quando cheguei no Botafogo, eles estavam no começo. A safra é muito boa, mas é a cabofriense que tem que vencer agora. Os jogadores estão se preparando para esse jogo como uma verdadeira decisão. Não temos mais pontos a perder. Tudo que podíamos deixar para trás já deixamos. Jogaremos uma partida decisiva em termos de classificação.