Assine Já
segunda, 14 de junho de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
14ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 42549 Óbitos: 1631
Confirmados Óbitos
Araruama 10478 329
Armação dos Búzios 5160 57
Arraial do Cabo 1486 81
Cabo Frio 11320 600
Iguaba Grande 4350 105
São Pedro da Aldeia 5809 254
Saquarema 3946 205
Últimas notícias sobre a COVID-19
primeira

Cabofriense consegue permanecer na Série A do Carioca

Vitória por 2 a 1 fora de casa sobre o Resende garantiu o time comandado por Eduardo Hungaro

16 abril 2016 - 17h20
Cabofriense consegue permanecer na Série A do Carioca

A Cabofriense até que levou um susto, mas cumpriu o seu papel e estará na primeira divisão do Campeonato Carioca do ano que vem. O time venceu o líder Resende de virada por 2 a 1 no Estádio do Trabalhardor, em Resende na tarde deste sábado (16). O time comandado por Eduardo Hungaro conquistou dez pontos em sete partidas disputadas na Taça Rio (Segunda Fase do Estadual).

A partida em Resende começou muito movimentada, com os donos da casa buscando logo a vitória e os visitantes também. Na primeira chance do jogo, o goleiro Andrey, da Cabofriense, apenas observou um chute perigoso de fora da área ir para fora. Não demorou muito para a resposta vir. O atacante Charles roubou bola e apareceu na cara do goleiro, mas não aproveitou a oportunidade.

Aos dez minutos, o Resende abriu o placar com o zagueiro Diego Neres, que carregou a bola para estufar a rede do Tricolor Praiano. Mas a alegria do Resende durou pouco. Quase no mesmo instante, Charles Chad aproveitou bola alçada na área e mostrou porque é um dos destaques do clube na competição: tudo igual no marcador.

O gol pareceu abalar os donos da casa, que não sabiam como se portar taticamente, demonstrando visível dificuldade para armar as jogadas. E quem se aproveitou disso foi a Cabofriense. O atacante Charles Chad, provavelmente o nome da partida, aproveitou mais um cruzamento para fazer o segundo dele e da Cabofriense no jogo. No restante do primeiro tempo, os visitantes administravam a vantagem enquanto o Resende tentava se organizar em campo.

Os times voltaram para o intervalo não muito diferentes do que havia sido praticado na etapa inicial. Apostando nas roubadas de bola, o jovem e rápido atacante Abner desarmou o adversário e arriscou de longe, quase ampliando o placar.

Após mudanças, o Resende cresce na partida e começa a organizar melhor os ataques. Robinho e Jhulliam chegam na cara de Andrey, trocam passes; Jhulliam dribla o goleiro e é derrubado, mas o juiz não marca nada – a melhor chance desperdiçada em todo o jogo pelo Resende. A pressão continua e Jeff Silva faz cruzamento perigoso, mas ninguém aparece para mandar para o fundo da rede.

Os últimos minutos foram marcados por uma pressão gigantesca e até goleiro do Resende indo na área para cabecear. Mas o juiz deu o apito final e a Cabofriense, com o placar, se manteve na primeira divisão.