Assine Já
sexta, 18 de setembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7654 Óbitos: 398
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2467 130
Iguaba Grande 627 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 61
Últimas notícias sobre a COVID-19
Victorino Carriço

Victorino Carriço 105: uma homenagem ao 'Poeta da Alegria' e ao seu legado

Familiares falam das lembranças e da saudade que têm do 'Santinho'

29 julho 2017 - 19h54Por Gabriel Tinoco I Foto: Reprodução
Victorino Carriço 105: uma homenagem ao 'Poeta da Alegria' e ao seu legado

Victorino Carriço legou em seus poemas a terra, o amor, os hinos, o luar, a música, a poesia... O poeta, natural de São Pedro da Aldeia, completaria 105 anos neste sábado (29) e mostra, em pleno aniversário, que permanece vivo na memória dos admiradores de sua obra. A semana foi de homenagens das prefeituras de Cabo Frio e Ar­raial ao poeta, que também foi lem­brado em Cabo Frio no Programa do comunicador Amaury Valério.

'Santinho', como era conhecido, compôs os hinos do Colégio Franciscano Sagrado Co­ração de Jesus, dos municípios de Arraial do Cabo, São Pedro da Aldeia e Cabo Frio. Além disso, Victorino é o autor dezenas de músicas.

O violonista Junior Carriço, neto do poeta, vê a obra presente até nas gerações mais novas.

– (Victorino) Carriço continua vivo na voz de cada criança que en­toa seus hinos. Vivo na Casa da Po­esia, sua casa em Arraial, onde os alunos das escolas vêm conhecer sua história e seu legado artístico. E está vivo através de seus descen­dentes, que levam sua obra aonde for preciso – diz.

A também neta Fernanda Carri­ço também tem o avô vivo na me­mória.

– Ele contava histórias quando a gente chegava de Cabo Frio, de­clamava poesia. Estava sempre muito animado. Comemoraria o aniversário dele hoje, se esti­vesse vivo, cozinhando para ele. Faria a comida que ele quisesse, deitaria na cama com ele para ouvir as histórias dele e contar as minhas também – revela, não sem nostalgia.

A filha do poeta (nome de uma coluna que manteve na Folha entre 2014 e 2015), Ercília Carriço fala sobre a estreita ligação de Victorino com Cabo Frio, sua natureza e monumentos.

“Ele contava que estava um pouco chateado e foi andar pela cidade. Chegando no canto da Praia da Forte, começou admirar o Forte, a paisagem e os pescadores trabalhando, e então surgiu a inspiração do hino. Ele tinha muito amor por Cabo Frio”, disse, ao site da prefeitura. 

Nascido na Ponta do Ambrósio, o poeta foi delegado de polí­cia, banqueiro e vereador, sendo em 1973 o mais votado de Cabo Frio, quando ocupou a presidên­cia da Câmara Municipal (que abandonaria mais tarde). Ele também foi um dos fundadores da Academia Cabofriense de Letras.