Assine Já
sábado, 19 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
transmissões

Transmissões de Game of Thrones ganham bares em Cabo Frio

Episódio final da sétima temporada atrai grande público ao Casarão, no Portinho

28 agosto 2017 - 17h09
Transmissões de Game of Thrones ganham bares em Cabo Frio

Naquele domingo à noite, às margens do Canal, um cliente deu rápida espiada no relógio de pulso: “está na hora”. O pontapé inicial causou tensão digna de final de campeonato e o bar ganhou atmosfera de clássico: sobre as mesas, combos de cerveja enchiam os copos, gelavam as gargantas e acaloravam debates. Naquele instante, os olhares se voltaram aos televisores e deles não desgrudaram durante 90 minutos.

Mas, apesar das semelhanças, o relato acima não descreve um jogo de futebol. Os donos do Casarão, no Portinho, transmitiram o episódio final da sétima temporada de Game of Thrones - assim como já vinha fazendo o Dream Land Pub, no Largo São Benedito, na Passagem. E os empresários não se arrependeram nem um pouco. O seriado adaptado dos livros de George RR Martin – que se tornou o programa televisivo mais popular do mundo e a série mais pirateada – atrai grande público na cidade. O mesmo sucesso se repete nas redes sociais e nos grupos do WhatsApp.

Segundo um dos proprietários do Casarão, Matheus Cavalcanti, a segunda transmissão – a primeira foi no domingo passado – superou um forte concorrente na tabela: a maior torcida do país.

– O jogo do Flamengo não deu tanto movimento. Transmitimos o jogo hoje à tarde e menos pessoas vieram. Essa série dá um ‘levante’ nas vendas – compara.

Um dos temas centrais é a disputa dos sete reinos pelo poder. Na preferência dos fãs, a família Stark lidera o campeonato com folga no Casarão. E a estudante Paula Rodrigues, 22, já elege o craque após 67 ‘rodadas’.

– Arya Stark. É a personagem que sofreu mais reviravoltas na série. Evoluiu bastante. Para mim ela é um ícone – rasga elogios à ‘Tomboy’ (menina com características masculinas em Game of Thrones).

Se a cena do dragão destruindo a muralha de gelo impactou a 99% dos fãs, o fiscal João Gabriel Vellekoop, 28, foi o único a não se impressionar com o desfecho.

– Não fiquei perplexo. Só um dragão de pura magia para derrubar a muralha de gelo. Leio bastante na internet sobre o tema. Por isso, não fiquei surpreso – teoriza ele, que aprovou a transmissão no bar.

Quem também aprovou a experiência foi o agente beneficente Douglas Cabral, 26.

– Pretendo reunir meus amigos aqui de novo. A vantagem sobre ver em casa é que podemos interagir uns com os outros. Nossas opiniões juntas formam uma mais elaborada – analisa.

Mas a espera será longa: a oitava temporada começa apenas em 2019. De acordo com o biólogo Julier Félix, 30, será difícil encontrar uma do mesmo nível.

– Tenho que arrumar outra série. Substituir Game of Thrones no nível é difícil, mas série é o que não falta – argumenta, sem deixar de opinar.

– O Mindinho poderia ter sofrido mais – finaliza.