Assine Já
terça, 02 de março de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 26824 Óbitos: 919
Confirmados Óbitos
Araruama 6793 183
Armação dos Búzios 3201 32
Arraial do Cabo 865 38
Cabo Frio 7434 352
Iguaba Grande 2529 55
São Pedro da Aldeia 3551 126
Saquarema 2451 133
Últimas notícias sobre a COVID-19
teatro

Teatro de Cabo Frio pode ser reaberto em agosto

Deteriorado, espaço passa por obras estruturais de emergência

21 abril 2017 - 10h05
Teatro de Cabo Frio pode ser reaberto em agosto

Antes iluminado, o palco agora está às escuras e com as cortinas fechadas. Espaço nobre da arte cabofriense, o Teatro Municipal Inah de Azevedo Mureb está fechado desde dezembro por causa da deterioração das condições estruturais da casa. O jejum de espetáculos, contudo, pode estar com os dias contados. A Secretaria de Cultura planeja reabrir o teatro em agosto, quando completará vinte anos de inauguração. O plano é ambicioso – encenar o Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna – mas até lá muita coisa ainda precisa ser feita. Engenheiros já inspecionam o local e a Prefeitura abrirá licitação para obras emergenciais nas próximas semanas. Ainda não há previsão de orçamento.

 – O trabalho tem sido movido a amor. Vi a casa nascer, engatinhar, dar os primeiros passos, virar adolescente e agora entrar na maioridade em coma, na UTI. Não há outra expressão – resume o diretor do espaço, Ítalo Luiz Moreira, que ocupa o cargo desde setembro, quando assumiu interinamente.

Condição essencial para produção de peças e shows, o sistema de iluminação foi retirado pela empresa terceirizada por falta de pagamento. A aparelhagem de som também, mas outra já foi comprada e será reinstalada depois que as obras ficarem prontas. Parte da tubulação de cobre do sistema de ar condicionado foi roubada, pois ficava exposta na rua, e precisou ser colocada para dentro do prédio. A estrutura que fica sob o palco e as cadeiras da plateia está comprometida por causa dos cupins.

 Embora a reportagem tenha encontrado funcionários da Prefeitura trabalhando para limpar o local, ainda há muito lixo espalhado em meio a restos de cenários de espetáculos encenados meses atrás. Do lado de fora, pichações, fiação exposta, mato alto e um forte odor de fezes deixadas por moradores de rua completam o retrato do abandono. Segundo Ítalo, a situação chegou a esse ponto por falta de manutenção nos últimos anos.

 – O prefeito está muito comprometido em reabrir o teatro. O problema são as condições financeiras que ele encontrou a cidade. As obras serão emergenciais e na parte de estrutura da casa: telhado, parte elétrica, goteiras. A gestão passada só fez uma pintura e esqueceu o res- tante – afirma.

O secretário municipal de Cultura, Ricardo Chopinho, afirmou que já foi concluído um levantamento com todas as irregularidades encontradas, inclusive os objetos desaparecidos, e entregue à Controladoria-Geral do Município. A falta de documentos e de informações, como o borderô de espetáculos realizados nos últimos quatro anos, também foram relatados.