Assine Já
segunda, 02 de agosto de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
13ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46523 Óbitos: 1889
Confirmados Óbitos
Araruama 11454 362
Armação dos Búzios 5517 58
Arraial do Cabo 1588 87
Cabo Frio 12706 765
Iguaba Grande 4804 116
São Pedro da Aldeia 6205 275
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
TRIO JÚLIO

Talento em dose tripla no Som do Mar

Conhecidos na internet, irmãos tocam clássicos do samba e chorinho, hoje, na Passagem

06 novembro 2019 - 20h08Por Redação
Talento em dose tripla no Som do Mar

A afinidade musical está no sangue. Nada mais natural, afinal de contas, tratam-se de irmãos. Com o impulso das redes sociais, a carreira dos músicos do Trio Júlio, iniciada em 1997, ganhou notoriedade e o trabalho do grupo será apresentado, hoje, a partir das 20h, no Som do Mar. Pela primeira vez em Cabo Frio, Magno Júlio (percussão) e os gêmeos Marlon Júlio (violão de sete cordas) e Maycon Júlio (bandolim) vão mostrar todo o virtuosismo, que pode ser visto em vídeos semanais no Facebook e no You Tube.

Os jovens são de Cordeiro, na Região Serrana, mas atualmente moram no Rio, onde se apresentam e dão aula na Escola Portátil de Música (EPM), na Urca, onde estudaram e tiveram a cabeça feita por gente do quilate de Mauricio Carrilho, Pedro Amorim, Jorginho do Pandeiro, entre outros grandes nomes do choro nacional. Na expectativa por estrear em um palco na cidade, Maycon espera agradar ao público que for até a casa de cultura da Passagem.

– Eu já fui a Cabo Frio e meus irmãos também, mas é a nossa primeira vez nossa junto lá, tocando, apresentando o nosso trabalho. A gente tá muito ansioso para mostrar o nosso repertório, um pouco das músicas do nosso disco (‘Minha Felicidade’), e também clássicos do choro. A gente está ansioso para chegar aí e fazer um som bem bacana – comentou o bandolinista, especialmente para a Folha.

O universo da música se apresentou cedo, dentro de casa, na cidade natal. Influenciados pela mãe, admiradora de Elis Regina, Milton Nascimento e Jovelina Pérola Negra, os irmãos logo tomaram gosto pela arte de enfileirar notas. A avó que tocava acordeom foi uma inspiração para os garotos, apesar de não ter tocado profissionalmente.

Antes mesmo de completar os estudos musicais, o trio passou a fazer parte do grupo de choro ‘Os Matutos’, composto por jovens talentos. Desde a década passada, os irmãos vêm recebendo premiações e o reconhecimento do público. Apesar da exposição em alguns programas de TV, Maycon reconhece que a divulgação nas plataformas virtuais ajudou para que mais pessoas tivessem acesso ao trabalho. O músico comenta que o resultado foi inesperado.

– Acho que o que deu um estalo foi um dia que a gente resolveu fazer um vídeo de uma música do nosso primeiro disco. Lançamos sem pretensão e a gente tomou um susto porque o primeiro vídeo que a gente postou chegou a 100 mil visualizações em menos de um mês. A gente ficou espantado e depois viu que esse era o caminho.  A gente está na era do audiovisual. Hoje, quase ninguém mais só ouve um áudio, a galera quer ir para o You Tube, ver o clipe daquela música. Então eu acho que isso hoje é superimportante para as bandas e para quem quer divulgar o trabalho – pondera.

As pessoas que forem ao Som do Mar, nesta noite, terão a oportunidade de ver, diante dos olhos, o domínio da técnica musical e os arranjos autorais dos irmãos para os mais diversos ritmos brasileiros, mas reverentes ao caminho trilhado por expoentes do gênero, como Jacob do Bandolim e, claro, Pixinguinha.

– São as nossas maiores referências – destaca. 

Serviço – Trio Júlio. Ingressos à venda no local por R$ 15. Som do Mar. Rua Manoel Antônio Ribeiro, 30 - Passagem.

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.