Assine Já
domingo, 28 de novembro de 2021
Região dos Lagos
28ºmax
20ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53491 Óbitos: 2186
Confirmados Óbitos
Araruama 12497 447
Armação dos Búzios 6580 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15408 901
Iguaba Grande 5564 147
São Pedro da Aldeia 7047 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
406 ANOS

Sophia Editora lança box literário em homenagem a Cabo Frio

Obras sobre a história e patrimônio do município foram reunidas em uma caixa com 25% de desconto

08 novembro 2021 - 12h10Por Redação
Sophia Editora lança box literário em homenagem a Cabo Frio

Novembro é o mês de celebrar a história de Cabo Frio. Seus 406 anos serão comemorados no próximo dia 13. Para homenagear o aniversário da cidade, a Sophia Editora preparou um box literário que vem com quatro obras publicadas nos últimos meses, inclusive o recém-lançado “História de Cabo Frio contado à minha filha”, escrito por Luiz Guilherme Scaldaferri e ilustrado por Yuri Vasconcellos. Também estão inclusas as obras “História de Cabo Frio – dos sambaquieiros aos cabo-frienses (c. 3.720 a. C. – 2020)”, “Cabo Frio Revisitado – a memória regional pelas trilhas do contemporâneo” e “Aventuras na Laguna”. O box literário pode ser adquirido no site da Sophia Editora (www.sophiaeditora.com.br) com 25% de desconto. Leia mais sobre as obras a seguir.

História de Cabo Frio – dos sambaquieiros aos cabo-frienses (c. 3.720 a. C. – 2020).

Duas referências em pesquisas sobre a Região dos Lagos, os professores José Francisco de Moura e Luiz Guilherme Scaldaferri uniram-se em prol de um objetivo ousado: consolidar uma publicação que fizesse a síntese da história de Cabo Frio, desde a pré-história até o ano de 2020. Com riqueza de dados, tabelas, mapas e informações inéditas, o trabalho está nas 394 páginas desta obra.

“Ainda não havia sido publicada uma síntese da história de Cabo Frio, desde os primeiros povos, os sambaquieiros, até 2020, que é o marco final do livro. Além disso, temos novas maneiras de enxergar a história, fruto do desenvolvimento da pesquisa histórica, que nos permite analisar Cabo Frio sob outra perspectiva. Exemplo mais claro é a participação ativa dos índios no processo de construção da história de Cabo Frio, que é bastante importante e é, infelizmente, negligenciado. Da mesma maneira, podemos falar sobre a história dos negros na sociedade cabo-friense. Alguns memorialistas antigos, mas nem por isso menos importantes, dão uma visão romanceada sobre a escravidão em Cabo Frio, o que não corresponde às pesquisas com fontes primárias. É muito importante chamar atenção para esse detalhe”, explica Luiz Guilherme.

José Francisco adiciona: “Nossa ideia foi escrever um livro fundamental. Que, daqui a 300 anos, ainda seja consultado”.

Cabo Frio Revisitado – a memória regional pelas trilhas do contemporâneo.

“Há tempos esperávamos por um livro que reunisse nossos fragmentos. Afinal, como pensar uno se desconhecemos quem somos, o chão que pisamos e o que aqui vivemos?”, destaca a arquiteta e urbanista Aline Bonioli Paiva Oferta está disponível no site da editora: www.sophiaeditora.com.br Reprodução / internet Colonesi, diretora do Colégio Estadual Miguel Couto, na Carta aos Professores que abre “Cabo Frio Revisitado – A memória regional pelas trilhas do contemporâneo”. A obra reúne artigos assinados por 20 pesquisadores, proporcionando ao leitor um moisaico sobre a história, memória e patrimônio da cidade. A organização é do arquiteto Ivo Barreto, também responsável pelas ilustrações inéditas contidas na publicação. Estão, entre os temas de estudo, a formação geológica da região, o período de escravidão, a pesca tradicional, a Fazenda Campos Novos, o conjunto paisagístico da cidade, a ocupação salineira e a vida e espaço dos primeiros habitantes da região.

“O livro foi um recorte (pois as pesquisas já são muitas) e está pensado como uma porta de entrada e mergulho no campo da memória, trazendo dados, mas sobretudo apontando caminhos possíveis e conexões às vezes pouco percebidas. Ao morador da cidade ou para aquele que com ela convive há anos, é uma oportunidade de uma viagem pelo tempo da paisagem e do homem nestas bordas da laguna da Araruama, na companhia narrativa de textos deliciosos, comprometidos com o rigor científico, mas extremamente acessíveis, textos que pedem um café longo e alguns dedos de prosa depois”, destaca Ivo Barreto.

Fazem parte da obra, além de Ivo Barreto, os autores Cyl Farney Catarino de Sá, Antônio Carlos Silva Andrade, Viviane Stern da Fonseca Kruel, Dorothy Sue Dunn de Araujo, João Henrique de Oliveira Christovão, Jonatas Carvalho, José Marcello Salles Giffoni, Paulo Sérgio Barreto, Jullia Turrini, Kátia Leite Mansur, Daniel Souza dos Santos, José Carlos Sícoli Seoane, Luiz Guilherme Scaldaferri Moreira, MaDu Gaspar, Gina Bianchini, Maria Cristina Ventura, Nilma Teixeira Accioli, Schneider Franco dos Santos e Walter Luiz Pereira. Gustavo Rocha-Peixoto assina o prefácio e Aline Bonioli Paiva Colonese, carta ao professor. A capa ganhou ilustração de Ivo, com design gráfico de design gráfico de Natalia Rossi.

Aventuras na Laguna.

‘Minha mãe me explicou que essa laguna é diferente e especial. É uma laguna hipersalina”, conta o protagonista de Aventuras na Laguna. Muitos são os aprendizados obtidos por Gui em seu lugar favorito na cidade de Cabo Frio, a Laguna de Araruama. Assinada por Jaqueline Brum, bióloga e presidente da Academia de Artes e Letras de Cabo Frio (Alacaf), a obra leva educação ambiental aos pequenos leitores. Isso com muita interatividade. Afinal, eles são convidados a dar cores à história – ilustrada por Felipe Freitas – e a enviar as páginas coloridas para a editora, que ocasionalmente são compartilhadas no instagram @sophiaeditora.

“Sou uma escritora cabofriense muito apaixonada pela cidade e pela região. A ideia do livro surgiu pela percepção da necessidade de falar sobre a laguna, compartilhando conhecimento, cuidado, atenção e amor. Parte da história é real. Sou mãe do Gui, que é o personagem que apresenta Cabo Frio do ponto de vista ambiental e fala do lugar favorito dele, que é a laguna”, conta Jaqueline Brum, completando: “O livro apresenta uma deliciosa história que convida o leitor a mergulhar nessa aventura. Apesar dos personagens, das ilustrações, do lúdico que encanta, ele também é muito informativo. Explica a diferença entre lagoa e laguna; apresenta algumas espécies que habitam o local, como peixes, camarão e siri; fala do potencial econômico da pesca, das salinas; incentiva a prática dos eco-esportes, oferecendo várias possibilidades; apresenta a laguna como área de lazer; fala da poluição, da contaminação; e de toda importância dessa que é a maior laguna hipersalina em estado permanente do planeta”.

História de Cabo Frio contada à minha filha.

Um passeio em família pela cidade, com paradas na Praia do Forte, Morro da Guia e Museu de Arte e Museu de Arte Religiosa e Tradicional de Cabo Frio (Mart), é o mote de “História de Cabo Frio contada à minha filha”. Escrita pelo historiador Luiz Guilherme Scaldaferri, a obra conta com o colorido das ilustrações de Yuri Vasconcellos. A protagonista é a jovem Liz, filha de Luiz Guilherme, que vive momentos de aprendizado e curiosidade aguçada ao descobrir detalhes sobre a cidade centenária onde mora. O livro também traz lendas, causos e particularidades da memória do município, convidando as crianças a conhecerem mais sobre Cabo Frio.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.