Assine Já
quarta, 30 de setembro de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8402 Óbitos: 437
Confirmados Óbitos
Araruama 1657 103
Armação dos Búzios 500 10
Arraial do Cabo 252 15
Cabo Frio 2765 149
Iguaba Grande 695 37
São Pedro da Aldeia 1353 54
Saquarema 1180 69
Últimas notícias sobre a COVID-19
padre

Paróquia só manterá tapetes de sal com apoio do poder público

Em entrevista coletiva, padre também criticou vandalismo dos jovens na confecção

12 maio 2017 - 23h27Por Fernanda Carriço
Paróquia só manterá tapetes de sal com apoio do poder público

A guerra de tintas entre os jovens, que há alguns anos vem causando problemas para a comunidade católica na confecção de tapetes do dia de Corpus Christi, é a maior preocupação da Paróquia Nossa Senhora da Assunção. Em entrevista coletiva à imprensa na manhã de ontem, o pároco Marcelo Chellis afirmou que a tradição só será mantida caso haja apoio do poder público.

Durante mais de uma hora o padre lamentou o que considera vandalismo e que compromete a prática católica que começou no século XIII, mais precisamente em 1246, na Bélgica, onde há o registro da primeira procissão de Corpus Christi.

- Durante a confecção muitos jovens se unem para jogar tinta uns nos outros. Até poderia ser saudável se fosse respeitoso, mas beira o vandalismo. É muito triste. Traz medo e insegurança. Os tapetes são pisoteados. Ano passado dois paroquianos foram atingidos pela tinta pouco antes da missa. Até a talha do altar ficou suja de tinta – desabafou o líder religioso.

O padre Marcelo Chellis afirmou que sem a participação efetiva da Guarda Municipal e da Polícia Militar não existe a possibilidade da confecção de tapetes. Ele disse que vai agendar uma reunião com a PM, pois a Guarda já garantiu o apoio ao evento.

- Posso garantir que a guarda vai participar efetivamente do evento – declarou o comandante da Guarda Municipal, Armando Pilheiros.

*Confira matéria completa na edição deste fim de semana da Folha dos Lagos.