Assine Já
quinta, 24 de junho de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
16ºmin
Alerj2
Alerj3
TEMPO REAL Confirmados: 43614 Óbitos: 1679
Confirmados Óbitos
Araruama 10812 339
Armação dos Búzios 5233 57
Arraial do Cabo 1501 83
Cabo Frio 11637 622
Iguaba Grande 4486 107
São Pedro da Aldeia 5916 260
Saquarema 4029 211
Últimas notícias sobre a COVID-19
proedi

Pagamento do Proedi é adiado pela quarta vez

Edital deveria ter sido pago em janeiro, mas Prefeitura pede mais 60 dias

11 junho 2015 - 09h14Por Nicia Carvalho
Pagamento do Proedi é adiado pela quarta vez

Nicia Carvalho

 

O ano do quarto centenário de fundação de Cabo Frio se transformou em mês e, ao que parece, as atividades comemorativas andam mais comprometidas do que a Prefeitura de Cabo Frio quer admitir. Um exemplo são os projetos contemplados com o Programa Municipal de Editais de Fomento e Divisão Cultural (Proedi), alusivo ao aniversário da cidade, em 13 de novembro, e que sofre novo adiamento: desta vez para daqui a 60 dias. A medida deixou os proponentes indignados.
– É uma falta de responsabilidade. São projetos maravilhosos que têm a fundação da cidade como tema e não vai dar tempo de ficar pronto. Como executar em três meses, caso seja pago realmente em 60 dias? Já deveria ter sido pago em janeiro. A festa dos 400 vai ser um fiasco. É lamentável toda essa situação. Sem contar que muitos artistas estão endividados – disparou a jornalista Maria Werneck, que foi contemplada na faixa de R$ 20 mil para criar o Portal Márcio Werneck, historiar e escritor, além de pai da jornalista.
Faz coro Carlos Henrique dos Santos Ferreira, proponente do projeto Almanaque da Imprensa Cabofriense, que prevê a impressão de mil exemplares do livro que aborda a história da mídia local. Contemplado na faixa de R$ 10 mil, ele cogita fazer a impressão por meios próprios, uma vez que a prefeitura adia pela quarta vez o pagamento dos recursos. Inicialmente a verba seria paga antes do Carnaval, mas logo em seguida foi anunciada para depois da folia e, em março, para 90 dias, que se encerrariam este mês.
– Município sem lei. Prefeitura de Cabo Frio não cumpre mais um prazo para o pagamento do Proedi. A desculpa é outra, sobre prestação de contas, até porque a da “crise” não convenceu ninguém. Para os 28 projetos culturais “contemplados” sobram prejuízos, como no meu caso que agora vou pagar ainda mais caro pela impressão dos livros porque o preço foi acertado com a gráfica ano passado – reclamou.
A produtora cultural e editora Rosa Peralta também lamentou o atraso e por falta de recursos apresenta a Mostra de Feira Madre: Meio Ambiente, Direitos e Educação de forma reduzida nas escolas. O projeto total, ganhador na faixa de R$ 10 mil, prevê exibição de filmes ambientais, palestras, feira agroecológica e debates acerca do tema.
– Fizemos parceria com uma escola pública de São Cristóvão e uma universidade para realizar as palestras e os filmes, coisa pequena porque junho é o mês do meio ambiente. Mas é lamentável porque justamente no ano dos 400 a Cultura não tem recursos – lamentou.
Em março deste ano, a secretaria de Cultura tinha anunciado adiamento por 90 dias para pagamento do edital, no valor total de R$ 600 mil, em três faixas: de R$ 10 mil, R$ 20 mil e R$ 40 mil. A alegação da prefeitura para o atraso, de acordo com os contemplados, continua sendo a crise dos royalties, a mesma informada pelo secretário José Facury, no início do ano.
– A prefeitura parou com todos os projetos por conta da crise. Só podemos fazer quando tiver verba e o prefeito pediu mais 60 dias para tentar contornar. É preciso aprender a conviver com essa dificuldade, atrasos podem acontecer e isso não é privilégio de Cabo Frio. O governo federal, por exemplo, pagou este ano projeto contemplado em setembro do ano passado pelo Prêmio Myriam Muniz – contemporizou.
 

 

Matéria completa na edição impressa da Folha de hoje.