Assine Já
sexta, 18 de setembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7654 Óbitos: 398
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2467 130
Iguaba Grande 627 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 61
Últimas notícias sobre a COVID-19
os caminhantes

'Os Caminhantes' será lançado no Park Lagos na quinta (26)

Livro de Mônica Carvalho, publicado pela Sophia Editora, propõe mundo sem corrupção

18 outubro 2017 - 12h02Por Fernanda Carriço
'Os Caminhantes' será lançado no Park Lagos na quinta (26)

Tempo: daqui a cerca de cem anos.  Cenário: um país que supera um passado marcado por escândalos políticos, de crise da moral e da identidade. Essa é a viagem na qual embarcará o leitor do livro ‘Os Caminhantes’ (Sophia Editora, R$35), de Mônica Carvalho, que será lançado na quinta-feira que vem, dia 26, no Shopping Park Lagos, no Quiosque Papaletras e Choperia Imperial, às 19h. 

A obra surgiu do incômodo sentido pela escritora – graduada em Direito e pós-graduada em Gestão de Pessoas e Didática de Ensino Superior – diante dos sucessivos escândalos de corrupção noticiados pela imprensa.

– Acompanho o noticiário e fico muito incomodada com a total incapacidade de se governar um país para seu povo. Mas não me confortaria escrever sobre um triste futuro. Preferi escolher outro rumo, o da regeneração moral, que é uma possibilidade. Mas não é uma obra moralista. Eu me incluo nesse movimento de tanta necessidade de regeneração – ressalta Mônica, que fala do desejo de plantar alguma semente no leitor com a leitura. 

– Eu escrevi ‘Os Caminhantes’ justamente pela necessidade de ter alguma esperança, alguma saída, de poder vislumbrar algum futuro de progresso. O desejo é esse mesmo, de inspirar as pessoas. Não é minha pretensão mudar o mundo. Se, de alguma forma, eu conseguir inspirar alguém nessa minha atividade de escritora, já terá sido uma dádiva – diz.

Na trama de ‘Os Caminhantes’, que começou a ser escrita em 2016 e ficou pronta em maio deste ano, o leitor é conduzido para um universo de análises do comportamento humano. A própria filha da autora aparece na trama como uma mentora em recuperação de criminosos.

– Os personagens do livro são super legais, fortes, marcantes e têm muito a ver com um desejo meu de que os meus descendentes façam parte disso. Acho que a gente vive muito para isso, para promover a melhoria a cada geração. O Artur  (personagem principal), por exemplo, foi inspirado no meu filho. Um personagem que foi responsável pela mudança da educação é inspirado no meu outro filho, o do meio, já que esse é uma luta dele, desde adolescente – explica.