Assine Já
sexta, 18 de setembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
mart

Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Mart) agita vida cultural

Mart, que fica no Convento Nossa Senhora dos Anjos, em Cabo Frio, tem espetáculos e oficinas 

17 julho 2016 - 11h47Por Gabriel Tinoco I Foto: Virginia Carvalho (Divulgação)
Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Mart) agita vida cultural

Do interior de um prédio que data do século XVII, renasce a cultura em Cabo Frio. O Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Mart), no Convento Nossa Senhora dos Anjos, no Itajuru, traz uma programação cultural caprichada para os moradores e visitantes de Cabo Frio. No roteiro, atividades relacionadas à ciência e à arte durante o ano inteiro. A curadoria trouxe oficinas, projetos e shows para misturar um pouquinho passado e presente.

– O museu está aberto para receber várias manifestações da cultura e procuramos dinamizar as atividades para aproximar o museu do público. E não falamos só de arte. Tivemos eventos sobre astronomia e a Feira Agroecológica. Na parte da cultura, tivemos várias atividades como oficinas, apresentações de dança – comentou a museóloga Ana Maria Forte.

Ana Maria está satisfeita com a variedade da programação para atrair um público de todos os gostos.

– Queremos dinamizar o museu para aproximá-lo da comunidade e do turista. As pessoas da cidade poderão aprimorar o conhecimento. Estamos diversificando bastante. A programação tem atrações da música popular até a clássica. Desde janeiro, a feira recebeu programação de música e esse evento de astronomia acontecerá mensalmente. Os grupos da cidade usam o espaço do museu para desenvolver a arte – completa.

O violonista Junior Carriço vê o convento com o lugar ideal para a interação entre artistas e plateia.

– O convento é uma joia, uma mistura de sensações. O fato de ser uma igreja aumenta o aparato de segurança e confere um ar institucional. A acústica do lugar é ótima. E ainda tem a beleza do altar. É um lugar perfeito para artistas e público reagirem. É surreal que se junte o sagrado e o profano sob o mesmo teto e com tamanha beleza. É um oásis nesse deserto que por ora a cidade transita

Depois de um mês para agitar a cena cultural cabofriense, o museu tem mais programações para fechar julho com chave de ouro. A começar pelo dia 21, quando o espaço será sede da edição de estreia do ‘Festival de Inverno Literário Cabofriense’, às 18h30. Mas o evento, apesar do nome, não se resume à literatura. Tanto que os instrumentistas e cantores Junior Carriço e Sarah Dhy, que já se apresentaram no convento, iniciam a feira com um tributo a Antônio Carlos Jobim e seu parceiro Vinícius de Moraes.

Logo depois, haverá apresentação do Coral Despertar, do Clube da Terceira Idade Alegria de Viver, sob a regência do Maestro Francisco Javier Silgueiro Gorriti. A programação também conta com o coletivo Gira Sol de Danças Circulares, coordenada arteterapêuta Elvi Vasconcelos.

E não dá tempo nem de respirar. No dia seguinte, o evento continua para um público mais jovem com contação de histórias, música e muita animação. Quem está na responsabilidade de embalar a plateia são Rosana Andréia, Cristina Chagas, Nadinéia e o Maestro Budega. As atividades, que começam às 14h, serão nos jardins do museu, portanto, a organização recomenda que os convidados levem uma canga para deitar e sentar no chão.