Assine Já
segunda, 01 de março de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
21ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 26824 Óbitos: 919
Confirmados Óbitos
Araruama 6793 183
Armação dos Búzios 3201 32
Arraial do Cabo 865 38
Cabo Frio 7434 352
Iguaba Grande 2529 55
São Pedro da Aldeia 3551 126
Saquarema 2451 133
Últimas notícias sobre a COVID-19
editora sophia

Luciana Branco lança livro "Pequenas Crônicas Sobre Tudo" nesta quarta-feira (22)

Noite de autógrafos acontece no Papaletras, Shopping Park Lagos

22 março 2017 - 09h58
Luciana Branco lança livro "Pequenas Crônicas Sobre Tudo" nesta quarta-feira (22)

A produtora do Santo Samba e colunista da Folha dos Lagos, Luciana Branco, lança hoje às 18h o seu primeiro livro de crônicas: "Pequenas Crônicas Sobre Tudo (Sophia Editora, 150 págs., R$ 30), no Papaletras, no Shopping Park Lagos. O livro é uma compilação de crônicas publicadas na Folha sobre os mais variados assuntos. 

Segundo a autora, o inspiração para escrever vem de todos os cantos. Uma simples cena vista na estrada, por exemplo. Ou a volta à escola das crianças após um período de greve. Outras vezes, a densidade aumenta em temas mais profundos, quando a pena da autora reverbera o momento de lidar com a saída da filha de casa para estudar fora. Seja onde for, em todos os caminhos, Luciana faz poesia por onde passa – ainda que, não raro, tope por uma pedra drummondiana por aí.

– Uso sempre o olhar poético e bem humorado. Busco os detalhes que me chamam a atenção nas cenas comuns. Uma vez li sobre uma mulher que foi assassinada na porta da faculdade e fui procurar a historia. Escrevi sobre isso. Quem é essa mulher? Por que fazia faculdade à noite? Tudo isso me chamou a atenção e inventei uma vida para ela, poeticamente. Tento colocar poesia na rotina – explica Luciana Branco. 

As crônicas de Luciana Branco são publicadas às terças-feiras na Folha dos Lagos, desde 2016. A cronista discorre sobre os mais diversos assuntos em seus textos semanais.

O livro reúne 31 crônicas publicadas no impresso e duas inéditas, cujos temas a autora prefere não revelar, deixando para que os próprios leitores descubram ao folhear as 150 páginas.

– Também foi uma surpresa para mim este projeto. Eu até hoje me surpreendo quando alguém me para e fala que leu minha coluna. Não escrevi pensando que faria um livro. Me sinto honrada pelo convite - conclui a autora.