Assine Já
quinta, 29 de julho de 2021
Região dos Lagos
17ºmax
13ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46093 Óbitos: 1865
Confirmados Óbitos
Araruama 11325 353
Armação dos Búzios 5456 57
Arraial do Cabo 1564 87
Cabo Frio 12599 755
Iguaba Grande 4756 114
São Pedro da Aldeia 6144 273
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
lançamento

Livro sobre queda do dirigível será lançado em Arraial do Cabo

Evento faz parte das comemorações dos 33 anos de instituto da Marinha

25 abril 2017 - 07h57Por Gabriel Tinoco I Foto: Divulgação (Francyne Ribeiro)
Livro sobre queda do dirigível será lançado em Arraial do Cabo

O livro ‘K-36 – O Zeppelin Que Caiu no Cabo’ (Sophia Editora, R$ 35) vai ser lançado nesta quinta-feira no Prédio Amazônia Azul, em frente ao Museu Oceanográfico do Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira, IEAPM, na Praia dos Anjos, em Arraial do Cabo, às 17h. O evento faz parte da série de comemorações do aniversário de 33 anos do IEAPM.

O autor, Leandro Miranda, nascido e criado na cidade palco da queda do dirigível da 2ª Guerra, está ansioso.

– No primeiro lançamento de Cabo Frio, deu uma repercussão bem legal. Me perguntaram muito quando ia ser o lançamento em Arraial.

O dirigível norte-americano que se chocou com o morro da Ilha do Farol colocou Arraial no mapa da Segunda Guerra. O autor contatou a enteada do piloto Richard Widdicombe, Christy Charry, para abrir o baú de recordações do veterano de guerra e já pensa em complementar as infomrações publicadas na primeira edição.

O livro vem de anos de estudo e o lançamento terá a presença de uma das testemunhas que prestou depoimento: o senhor Darcy Franco.

– Vamos levar algumas pessoas que participaram do evento. Vamos levar o senhor Darcy Franco, por exemplo. Vamos levar mais pessoas para ter um bate-papo. Os artistas são eles. Eu apenas transcrevi o que eles passaram – conta, humildemente.

A história começa a ser escrita por causa de um alicate, repassado de geração em geração. O autor ouvia atenciosamente as histórias do avô sobre o alicate que ganhou por participar do resgate.

– Fui criado com meu avô contando as histórias do Zeppelin. Com o passar do tempo, ele faleceu e o alicate ficou com meu pai, que passou para mim. Certo dia, por curiosidade, fui buscar a marca do alicate. Encontrei um post do fabricante dizendo que, entre 1940 e 1945, fornecia inúmeras ferramentos ao Departamento de Defesa americano. Foi aí que descobri – revela.

Exemplares da obra podem ser encontrados na Livraria Nobel e na Papaletras Revistaria & Tabacaria, no Shopping Park Lagos, e no site da editora: www.sophiaeditora.com.br.

SERVIÇO: 

ONDE: Prédio Amazônia Azul, em frente ao Museu Oceanográfico
QUANDO: Quinta, 27 de abril, a partir das 17h.