Assine Já
sábado, 26 de setembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
folha

Folha faz cobertura na Avenida pela primeira vez

Jornal marcou presença no Desfile das Escolas de Samba do Rio de Janeiro

02 março 2017 - 09h51Por Gabriel Tinoco I Fotos: Binho Duarte
Folha faz cobertura na Avenida pela primeira vez

A Folha dos Lagos marcou presença no Desfile das Escolas de Samba do Rio de Janeiro pela primeira vez em 27 anos de história. A cobertura, feita em parceria com a Rádio Absoluta, teve transmissão ao vivo e postagens no Facebook da Folha na segunda-feira (no segundo dia do Grupo Especial). 

O primeiro desfile foi aberto debaixo de chuva e manchado por um acidente. No momento mais tenso da noite, o último carro alegórico da Paraíso do Tuiuti imprensou mais de dez pessoas na grade esquerda. O pânico tomou conta da avenida, com ambulâncias socorrendo os feridos e funcionários de braços dados isolando os curiosos. Oito atropelados foram encaminhados ao Hospital Souza Aguiar. 

Em seguida, a Grande Rio levou a multidão ao delírio com a homenagem à cantora Ivete Sangalo – a baiana até deu palinha ao cantar o samba enredo. 
Já a Imperatriz Leopoldinense trouxe verdadeiros índios o desfile. A escola resgatou a memória dos índios Xingu. Logo depois, a tradicional Vila Isabel prestou tributo à música negra no continente americano, com direito a sósias de artistas como Ray Charles, Stevie Wonder e o grupo Jackson 5. 

Após o desfile da Vila, a Salgueiro entrou na avenida para delírio das centenas de torcedores, com as bandeiras em punho. A escola “carnavalizou a vida”, com o enredo sobre A Divina Comédia, obra do poeta italiano Dante Alighieri. Para encerrar a programação, pela manhã, a Beija Flor homenageou a obra de José de Alencar: Iracema.

Portela conquista título que não vinha desde 1984

Em uma emocionante apuração decidida apenas no último quesito (Enredo), a Portela sagrou-se ontem a campeã do Carnaval carioca após 33 anos de jejum. O último título da Azul e Branco de Oswaldo Cruz havia sido em 1984, ano da inauguração do Sambódromo.

Desde a leitura das primeiras notas, a Águia manteve-se entre as líderes, a princípio acompanhada pelas também favoritas Mangueira e Salgueiro. Com o passar do tempo, as rivais foram perdendo décimos preciosos. Após a revelação das notas do quinto quesito (Comissão de Frente), surgiu uma
outra ameaça ao triunfo portelense: a Mocidade Independente de Padre Miguel.

O equilíbrio manteve-se até o último quesito quando a Mocidade levou duas notas 9,9, enquanto a Portela gabaritou. A leitura do 10 decisivo fez explodir não apenas os portelenses que acompanhavam a apuração na Apoteose, como os que lotavam a quadra da escola à espera do sonhado título.
Foi a 22ª conquista da escola, a recordista de títulos e que levou para a Avenida o enredo “Quem nunca sentiu o corpo arrepiar ao ver esse rio passar”, do carnavalesco Paulo Barros. Por um acordo entre a Liga das Escolas e as agremiações, ficou decidido que não haveria rebaixamento este ano por causa dos problemas ocorridos em alegorias da Paraíso do Tuiuti e da Unidos da Tijuca, que resultaram em mais de 30 feridos.

Confira a classificação: 1º Portela 269,9 pontos; 2º Mocidade 269,8 pts.; 3º Salgueiro 269,7 pts.; 4º Mangueira 269,6 pts.; 5º Grande Rio 269,4 pts.; 6º Beija-Flor 269,2 pts.; 7º Imperatriz 268,5 pts.; 8º União da Ilha 267,8 pts.; 9º São Clemente 267,4 pts.; 10º Vila Isabel 267,4 pts.; 11º Unidos da Tijuca 266,8 pts.; 12º Tuiuti 264,6 pts.