Assine Já
quarta, 02 de dezembro de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 12808 Óbitos: 546
Confirmados Óbitos
Araruama 2519 121
Armação dos Búzios 1300 16
Arraial do Cabo 427 16
Cabo Frio 3851 182
Iguaba Grande 1182 41
São Pedro da Aldeia 1997 76
Saquarema 1532 94
Últimas notícias sobre a COVID-19
Fesq

Fesq: a resistência da arte

Festival conta com 21 grupos para mostra competitiva

19 outubro 2016 - 19h19Por Gabriel Tinoco I Foto: Divulgação
Fesq: a resistência da arte

Há mais ou menos uma década, a arte provou que constrói pontes em Cabo Frio. O Festival de Teatro e Artes de Cabo Frio (Fesq), em sua 14ª edição, mostra que grupos do país inteiro atravessam fronteiras e se unem aos artistas locais em nome da cultura. O festival, que começou ontem, se estenderá até o sábado e tem atividades para Teatro Municipal, Praça Porto Rocha, Praça da Cidadania e quiosque Chapelão, na Praia do Forte.

O teatro recebe, como sempre, a mostra competitiva que reúne grupos de todo o Brasil. As praças terão as atividades do Fesq Rua, com apresentações gratuitas. Já no Chapelão, na Praia do Forte, vai rolar mais uma vez o Fesq Música, com shows após a programação no teatro. A organização estima que a 14ª edição reunirá cerca de 3 mil pessoas. No teatro, a programação começa diariamente às 20h. Os ingressos de quarta a sexta custam R$ 16 (inteira). No sábado, R$ 20 (inteira). Em todos os dias quem levar 1 kg de alimento paga meia-entrada.

No Fesq Rua as atividades serão sempre a partir das 16h30. Hoje – assim como ontem –, a programação será na Praça Porto Rocha, com apresentações do Grupo Imaginário e do Teatro Cabofriense de Comédia (TCC). Na sexta, os mesmos grupos se apresentam na Praça da Cidadania. No sábado será a vez dos palhaços Tatuí e Mixirica se apresentarem na Praça da Cidadania, que fica em frente ao Teatro Municipal, na orla da Praia do Forte.

Dificuldades – Os empecilhos financeiros foram, pela primeira vez, um motivo para que o Fesq não acontecesse em 2016. Mesmo sem premiação em dinheiro e ajudas de custo, a adesão de 21 grupos provou que o evento poderia acontecer – os prêmios serão distribuídos através de troféus e certificados. O edital pode ser conferido no site do evento (www.fesqcabofrio.com). Como de costume, haverá alojamento gratuito para os participantes.

– A novidade deste ano é a resistência. Fiquei muito surpreso, num ano com pouco recurso, com uma realidade muito brusca economicamente, com a grande adesão dos grupos. Não tem dinheiro, não tem ajuda de custo, e, mesmo assim, os artistas estiveram lá, firmes e fortes. Entendo que se deslocar, seja de outra cidade, seja de outro estado, gera um gasto de dinheiro muito grande. Mas eles mostraram que vêm compartilhando esse ideal de resistência – desabafou Yuri Vasconcellos, um dos organizadores.

O também organizador Ravi Arrabal demonstrou contentamento pelo interesse de grupos vindos de fora da cidade. 

– O festival é um projeto que acontece há 14 anos de forma ininterrupta. O Fesq já passou por muitas dificuldades por causa da falta de apoio da iniciativa privada ou porque ora o Poder Público apoia, ora não apoia. Sabemos de toda a dificuldade do mercado neste ano, dos problemas para captar recursos, e chegou um ponto em que não realizaríamos o Fesq. No momento em que as inscrições foram abertas, vimos uma adesão muito forte de grupos do Paraná, de Fortaleza, de São Paulo, de Minas Gerais... É caro para muita gente, mas é um evento muito importante para a realização teatral da cidade – argumenta.