Assine Já
terça, 22 de junho de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
16ºmin
Alerj2
Alerj3
TEMPO REAL Confirmados: 43349 Óbitos: 1676
Confirmados Óbitos
Araruama 10701 336
Armação dos Búzios 5211 57
Arraial do Cabo 1501 83
Cabo Frio 11551 622
Iguaba Grande 4461 107
São Pedro da Aldeia 5895 260
Saquarema 4029 211
Últimas notícias sobre a COVID-19
Griot

Escola no Monte Alegre recebe Mostra Vivências Periféricas

Premiado com Proedi, projeto leva a Cultura de Periferia para colégio Catharina Azevedo

14 julho 2016 - 20h19Por Redação
Escola no Monte Alegre recebe Mostra Vivências Periféricas

A Escola Municipal Professora Catharina da Silveira Cordeiro, no Monte Alegre, abre suas portas para o evento Vivência Periféricas – Mostra de Cultura de Periferia, com a professora Márcia Fonseca, nesta sexta (15) e sábado (16). O evento é mais um projeto cultural viabilizado pelo Programa Municipal de Editais de Fomento e Difusão da Cultura de Cabo Frio (Proedi). O evento irá reunir artistas da periferia de Cabo Frio com apresentações e oficinas de Jongo, Capoeira, outros batuques, Hip Hop (grafiti e rapper), Funk (dança do Passinho), skate, literatura com foco na estética afro-brasileira e muito mais.

A professora de Educação Física Márcia Fonseca atua na Unidade Escolar com Expressões Artísticas. Ela também faz parte do grupo GRIOT – pesquisa, difusão e memória em tradições afro-brasileiras, que realiza uma séria de ações no campo da diversidade étnica e patrimônio imaterial nacional, com ênfase nas heranças de matriz africana. Márcia explica que na escola Catharina da Silveira ela desenvolve um trabalho com base na Lei 10.639/2003, que torna obrigatório o ensino sobre História e Cultura afro-brasileira nas escolas brasileiras de Ensinos Fundamental e Médio. Assim, os alunos passam a conhecer e refletir sobre os aspectos da cultura popular com ênfase na história e tradições trazidas da África.

Márcia conta que a maior parte dos alunos atendidos no bairro Monte Alegre são afrodescendentes, o que torna o trabalho nessas comunidades ainda mais valorativos.

– Em se tratando de uma escola em que a maioria é constituída de crianças negras, a valorização da cultura afro-brasileira como constituinte e formadora de nossa sociedade ganha ainda mais importância – reforça a professora.

O Proedi foi instituído pela Lei nº 2.399, de 7 de dezembro de 2011, regulamentada pelo Decreto nº 4.721, de 25 de julho de 2012, e objetiva assegurar aos artistas e às entidades civis sem fins lucrativos, de comprovada atuação cultural no Município, auxilio financeiro ou subvenção social, através da seleção pública e, dessa forma, fomentar a produção de acervo documental histórico cultural do Município.