Assine Já
sábado, 19 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Fyca

Começa hoje o Festival de Cultura Alternativa de Cabo Frio

Evento acontece até domingo em vários pontos da cidade

18 maio 2016 - 09h26Por Gabriel Tinoco
Começa hoje o Festival de Cultura Alternativa de Cabo Frio

Guitarrista Yonatan Gat já recebeu prêmios de diversas publicações musicais de prestígio dos EUA (Divulgação)

Um foi eleito o melhor guitarrista de Nova Iorque. O outro, irlandês, relaciona sons do cotidiano com suaves melodias. E ainda tem o escocês que carrega na mala um violão folk. De hoje a domingo, uma mistura de sotaques e sonoridades desembarca em Cabo Frio. É o Festival Itinerante, Internacional e Independente de Cultura Alternativa (Fyca), organizado na cidade pelos produtores Mateus Pagalidis, Marilac Braga, Felipe Henriques e Gustavo Vieira.

As entradas para os shows, a não ser na festa de sábado, terão um preço sugestivo de R$ 15. A produção do festival aguarda centenas de pessoas a cada dia.

– A ideia é sintetizar esses shows que acontecem há muito tempo em Cabo Frio, diria há uns sete anos, e tentar montar uma coisa maior aqui na cidade. É um festival com cinco dias, três lugares diferentes. Posso dizer que é o maior festival underground fora do circuito do país – afirmou Pagalidis.

Mateus, que também é curador do evento, vê uma certa responsabilidade social no Fyca.

– A ideia é maximizar essa produção, crescer para vários lados e, principalmente, criar um diálogo. A ideia social é que as pessoas assumam a responsabilidade de fazer acontecer, de comparecer ao evento, de estar presente – explica Mateus.

A atração principal é, digamos, já conhecida nos corredores nova-iorquinos. Yonatan Gat faz as duas primeiras apresentações do evento com um som bastante peculiar. Hoje, será no El Nuevo Don Caballero, na Rua Raul Veiga, 735, no Centro, às 20h. Amanhã, a guitarra volta a ser tocada no Museu de Arte religiosa e Tradicional, no Itajuru, no mesmo horário.

O guitarrista, já eleito como o melhor da cidade pelo jornal Village Voice, também tem o nome carimbado por veículos como o New York Times, People Magazine e o site Vice. O trio que forma a banda de Gat, acostumado a se apresentar em grandes clubes e até porões, toca improvisos que canalizam os grooves afrobeat, passa pelas melodias folk do Oriente Médio e acaba no bom e velho Rock N’ Roll.

Christopher Scullion deixa o pesado som das guitarras de lado para experimentar uma música mais suave, com sons de objetos do cotidiano, sempre apostando no lirismo. Ele se apresenta na sexta-feira, no Charitas, no Centro, a partir das 20h. O irlandês, formado em Tecnologia e Composição Musical em Londres na University of Hertfordshire, tem como uma das influências a carreira solo do ex-guitarrista do Red Hot Chili Peppers, John Frusciante.

No sábado, haverá uma pausa na música instrumental para uma festa celebrar o Fyca. O local, por enquanto, ainda é secreto, mas será divulgado próximo ao evento pelos membros da produção. Tanto que Mateus Pagalidis fez questão de frisar que a cultura alternativa também engloba a música eletrônica.

– A Domina (que se apresenta no sábado) é um selo coletivo de vários produtores de música eletrônica. Eles fazem trabalhos de discotecagem, instalações sonoras e performances audiovisuais. Nesse dia, busco um lance mais relacionado à festa. Isso é para mostrar que a rave e as festas de música eletrônicas também são cultura alternativa – explica.

Ambientes alternativos – Os ambientes, escolhidos a dedo, criam uma atmosfera que faz “o artista dialogar com o lugar”, como bem explica Mateus Pagalidis. O curador ressalta o amplo leque de palcos para shows, que combinam bastante com a música escolhida para o local.

– Gosto da ideia de lugares inusitados. Percebo que em cidades como Rio das Ostras não há um prédio com mais de cem anos. E Cabo Frio é uma das cidades mais antigas do país. É bom explorar o que temos por aqui. As belezas naturais daqui também não vemos em lugar nenhum.

A tradicional casa nomeada como El Nuevo Don Caballero, considerada como um lar underground da cidade, conta com uma decoração própria e lugares bem cômodos para a plateia se divertir e ouvir música.

O Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Mart), no Convento de Nossa Senhora dos Anjos, remonta aos tempos coloniais – e proporcionará uma excelente viagem ao som da guitarra de Yonatan Gat no segundo dia do festival. A arquitetura é um dos destaques para proporcionar um clima de antiguidade no show do nova-iorquino.

Um dos maiores centros culturais da cidade, o Charitas, provavelmente terá um dos maiores públicos do festival. É o que diz a expectativa da direção, pela boa localização do museu que fica na esquina das avenidas Assunção e Nilo Peçanha.

E não é só o patrimônio cultural e histórico que será bem explorado. O belo visual que o litoral da cidade proporciona também não vai ficar de fora. O show de encerramento do festival será na caverna da Praia Brava, que aliará o acústico do violão folk com o marulhar das ondas. Confira a programação completa no roteiro abaixo.

Confira a programação:

18/05 (Quarta-feira)
- Yonatan Gat (NY), às 20hs.
El Nuevo Don Caballero - Rua Raul Veiga, 735, Centro, Cabo Frio, Preço: R$ 15

19/05 (Quinta-feira)
Yonatan Gat (NY), às 20hs.
MART - Museu de Arte religiosa e Tradicional ou CONVENTO, Centro, Cabo Frio. Entrada Colaborativa (Pague quanto quiser). Valor Sugerido: R$15

20/05 (Sexta-feira)
Christopher Sculion (Irlanda), às19hs. Charitas - Museu José de Dome, Centro, Cabo Frio.
Entrada Colaborativa (Pague Quanto Quiser). Valor
Sugerido: R$15

21/05 (Sábado)
DOMINA (RJ) 22hs.
SeCRET SPOT -
Divulgaremos próximo ao evento.
R$ 15 com nome na lista
R$ 25 sem nome na lista

22/05 (Domingo)
James Orr Complex (Escócia), às 16h. Caverna da Praia Brava - Praia Brava, Cabo Frio.
Entrada Colaborativa
(Pague Quanto Quiser).
Valor Sugerido: R$ 15.