Assine Já
segunda, 18 de outubro de 2021
Região dos Lagos
21ºmax
18ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52181 Óbitos: 2123
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6500 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14677 858
Iguaba Grande 5464 140
São Pedro da Aldeia 6968 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
RECONHECIMENTO

Colunistas da Folha assumem cadeiras na Academia Cabo-friense de Letras

Paulo Cotias, Andréa Rezende e Ivo Barreto são os novos 'imortais' da instituição literária

15 maio 2021 - 15h53Por Rodrigo Branco

Das páginas dos livros e de artigos científicos para a imortalidade. Em processo de renovação, a Academia Cabo-friense de Letras (ACL) acaba de incluir aos seus quadros os nomes dos professores e escritores Andréa Rezende, Paulo Cotias e Ivo Barreto que, além da produção literária de relevância cultural para a região, mantêm relação estreita com o jornal Folha dos Lagos, do qual são colunistas, e com a Sophia Editora, seja pela publicação de obras ou participação em lives. A solenidade de posse foi na semana passada, de forma virtual, por causa da pandemia do novo coronavírus.

Andréa agradeceu a indicação recebida da educadora e escritora Rosana Andréia e se disse disposta a contribuir em favor da difusão, valorização e fomento da Literatura na nossa região.

– Ser indicada à ACL é uma celebração na minha trajetória literatura. Sou membro de outras Academias, inclusive a Alacaf [Academia de Letras e Artes de Cabo Frio], também em Cabo Frio, e sou uma das coordenadoras do coletivo Flores Literárias na região. A   Literatura é parte de mim, da minha trajetória profissional, pessoal e artística.  Não sou cabo-friense, mas me sinto inserida no contexto cultural da cidade há alguns anos, primeiro como educadora, depois como escritora. Integrar a Academia mais antiga da cidade é uma honra, visto o valor histórico, memorialista e cultural da instituição.

Outro que acaba de vestir o ‘fardão simbólico’ da ACL, Cotias demonstrou orgulho pela oportunidade de ocupar uma cadeira da instituição literária, que foi fundada em 1975. 

Dedicado à produção acadêmica de viés histórico e político, o professor também assina uma coluna semanal na Folha e tem dois livros publicados pela Sophia Editora [‘Salinas’ e ‘Folha dos Lagos – Quando a Notícia Vira História’].

– Eu me sinto muito honrado e feliz por fazer parte dessa importante e histórica academia. Creio ser o sonho de todo o autor. A academia terá um papel muito importante na nossa sociedade como difusora de esperança, otimismo, cultura e arte. Isso sem falar na sua missão natural de abrigar e favorecer as nossas letras e causas fundamentais como à Biblioteca Walter Nogueira e o nosso primeiro romancista brasileiro Teixeira e Souza. Agradeço à amiga querida Rose Fernandes pela indicação e a todos os amigos e amigas que me acolheram com muito carinho. Vamos ao trabalho. A imortalidade é a das coisas boas que deixamos. Que sejam muitas – festeja. 

Rose Fernandes também foi a responsável pelo convite ao professor, arquiteto e urbanista Ivo Barreto, organizador dos textos que estão no livro ‘Cabo Frio Revisitado – a memória regional pelas trilhas do contemporâneo’, recentemente lançado pela Sophia. Em 2016, publicou com outros autores, pela editora Escrituras, a obra ‘#400vezesCaboFrio: memória e território em 400 imagens e centena de olhares’.

Com diversos artigos publicados na área de Arquitetura e Patrimônio, Ivo mostrou surpresa pela indicação, mas ressalta que  aproximou a linguagem literária do grande público nos últimos anos, após quase duas décadas de dedicação à pesquisa acadêmica e da experiência na gestão pública [foi chefe do Escritório Técnico do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional na Região dos Lagos 2009 a 2013 e foi superintendente do Iphan no Estado do Rio de Janeiro entre 2013 e 2015]. 

– Quando veio o convite, comecei a refletir um pouco sobre os objetivos do que eu tenho escrito e o que acho que foi importante nessa avaliação é que talvez o motivo tenha sido o público. O meu esforço nos últimos anos é escrever sobre patrimônio, arquitetura e cidade, mas voltado para um público mais amplo. Embora eu me dedique a artigos científicos e a livros que são dedicados a um público especifico de arquitetura e patrimônio, os meus textos dos últimos anos têm sido dedicados a um publico mais aberto, no intuito de dar conhecimento de um material que muitas vezes fica restrito a um público muito especializado e, na minha opinião, isso dá muito mais sentido a própria existência das pessoas e ao convívio das pessoas em sociedade – teoriza Ivo, que constante contribui com artigos para o jornal.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.