Assine Já
quinta, 24 de setembro de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7942 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1581 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 231 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 649 36
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Casa Scliar

Casa Ateliê Carlos Scliar será transformada em ponto de cultura

Outros três projetos da região foram contemplados por edital do Estado

24 junho 2017 - 12h13Por Rodrigo Branco | Foto: Arquivo Folha
Casa Ateliê Carlos Scliar será transformada em ponto de cultura

A Região dos Lagos tem quatro projetos entre os 34 selecionados pelo edital do Governo do Estado para implantação de pontos de cultura em vários municípios do interior do Rio de Janeiro. Em Cabo Frio, foi contemplado o Projeto Carlos Scliar de Educação Patrimonial, do Instituto Cultural Carlos Scliar. Em Búzios, foram selecionados os projetos Quilombo em Evidência, da Associação Quilombo da Rasa e a Associação Bem Querer, da Ação Cultural Búzios. De São Pedro, o agraciado foi o projeto Beleza no Caos, do Movimento de Resgate da Cultura e Consciência Negra.

O documento foi assinado na quarta-feira pelo secretário André Lazaroni, depois de mais de três anos de espera e muita pressão da comunidade cultural. No total, a Secretaria Estadual de Cultura irá investir R$ 6 milhões em todos os 34 projetos. Uma das autoras do projeto da Casa Scliar, Daniela Camargo, explica que a assinatura do edital ainda não é a efetiva chegada do recurso e sim a garantia que ele será repassado. Os investimentos serão feitos ao longo de três anos, mas o cronograma ainda está sendo fechado pelo Governo Estadual.

Segundo Daniela, cada ano será dedicado a um tema, sempre ligado à área de patrimônio. O dinheiro será usado para compra de equipamentos, contratação de pessoal para as oficinas e incentivo às atividades que já existem no local, como a preservação da pesca e da cultura afro. A museóloga falou sobre o benefício que Cabo Frio terá com o projeto.

– Precisamos divulgar que a casa está aberta, com acervo aberto para visitação, recebendo público e escolas. Existindo um museu que também será ponto de cultura, isso será ainda mais efetivo para a nossa missão educadora.

Por outro lado, por conta da demora na assinatura do edital, Daniela admite que serão necessários adaptações no projeto, sobretudo para compra de materiais, por conta da alta do dólar no período. Surpreso com a notícia da assinatura do edital, o professor Antonio Carlos Pap Almeida, da Ação Cultural de Búzios, prefere aguardar a liberação da verba para colocar os planos em prática.

– Vai nos ajudar muito a recobrar o fôlego. E, com certeza, vai haver um trabalho enorme para readaptar o projeto, que foi feito em uma realidade de três anos atrás – comenta Pap.