Assine Já
segunda, 18 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 14959 Óbitos: 590
Confirmados Óbitos
Araruama 3054 135
Armação dos Búzios 2159 24
Arraial do Cabo 525 22
Cabo Frio 4004 184
Iguaba Grande 1338 43
São Pedro da Aldeia 2213 81
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
Aulas

Boas-vindas com a poesia do Santinho

Capa do F+ sobre Victorino Carriço inspira volta às aulas de escola em Monte Alto

05 agosto 2015 - 08h08

Rodrigo Branco

 

Uma noite, no mínimo, dife­rente. O que tinha tudo para ser apenas um aborrecido ritual de reapresentações na volta às au­las da Escola Municipal Fran­cisco Luiz Sobrinho, em Mon­te Alto, distrito de Arraial do Cabo, se transformou em uma recepção musical com ares de sarau literário.

Isto porque, por iniciativa da supervisora pedagógica Jana Soares e do professor de Língua Portuguesa, João Resende Mo­reno, os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) foram recepcionados ao som de com­posições do poeta aldeense Vic­torino Carriço, que completaria 103 anos na semana passada, e de clássicos da MPB.

As interpretações ficaram a cargo dos músicos da região Jú­nior Carriço (violão e voz), Luiz Cláudio Cacadio (sax e flauta) e Normando (violão). Como ins­piração, a capa do suplemento F+ da último dia 25, com ma­téria ‘O Poeta está Vivo’, que celebra a vida e a obra do ‘San­tinho’, apelido pelo qual Victori­no era chamado.

– Fiquei muito emocionado com a capa do jornal que disse que ‘o poeta está vivo’. Uma maravilha. A escola explodindo e os alunos bebendo a água do amor, da cultura, da música e da vida que é o que a gente tem, é o nosso patrimônio – filosofa Jú­nior Carriço, neto do poeta.

Entre os estudantes, olhares curiosos, entre uma ou outra re­ação de estranhamento frente ao desconhecido, mas para nenhum deles passou despercebido o uni­verso das melodias de Santinho, Tom Jobim e Pixinguinha.

– Tivemos a oportunidade de dar aos alunos uma experiência nova, que foi ter contato com uma cultura diferente que nem todo o dia se tem chance. To­dos nós, alunos e profissionais, fomos muito privilegiados esta noite – comentou a diretora da unidade, Emília Souza.