Assine Já
quarta, 20 de outubro de 2021
Região dos Lagos
18ºmax
14ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cultura

Aniversário do Som do Mar é com arte

Espaço promove Semana da Cultura Cabofriense

23 outubro 2019 - 20h08
Aniversário do Som do Mar é com arte

Músicos, poetas, artistas plásticos,  atores, oficineiros... Ao total, 300 artistas. Diante deles, um público estimado em 10 mil pessoas passou, nos últimos 12 meses, pela Casa de Cultura Som do Mar, no bairro da Passagem, em Cabo Frio. 
Para comemorar este primeiro ano de funcionamento, o espaço promove a Semana da Cultura Cabofriense, entre os dias 24 de outubro e 3 de novembro. Haverá apresentações musicais, teatro, roda de conversa, sarau de poesia e exposição. 
– A ideia Semana de Cultura Cabofriense surgiu da ideia de o Som do Mar estar lutando pela valorização da história da cidade, pelos artistas da cidade. A casa também recebe artistas de fora, mas 90% são artistas locais – destaca o músico e produtor cultural Azul Casu, sócio ao lado do também músico e produtor Marcos Valva, o Barba, e Renan Veiga, produtor cultural e DJ.
E a arte estrapola os limite temporal de uma semana. Serão, na verdade, onze dias de programação, que começa hoje, com Bicicleta Funana e a exposição Arte em Cores, de Yuri Vasconcellos,  partir das 20h). Nos dias seguintes fica assim: Ju Feliciano (sexta, às 20h), Carinho & Murebinho (sábado, às 16h), Forró do Yê (domingo, às 15h), Sarau do Som do Mar (segunda, às 20h), Teatro do Som do Mar (terça, às 20h), Dois Varguinhas (quarta, às 20h), Junior e Fernanda Carriço na Velada Carriciana (quinta, às 20h), Roda de Conversa e apresentações de Azul Casu e Vinicius Santa Rosa, com o convidado Dio Cavalcanti, na Alma Cabofriense (sexta, às 18h), 3 Du Mar e Diego Matos no Forró de Beira de Praia (sábado, àsm16h) e grupo Barba, Cabelo e Bigode no Sambenedito (domingo, às 14h). 

Para se sentir em casa

A casa onde funciona o Som do Mar, de arquitetura colonial do século XIX, inicialmente foi construída por pescadores da cidade por ser localizada estrategicamente ao lado dos galpões de sal. Na histórica casa residiu, na década de 1970, a ativista de cultura popular e ambientalista Amena Mayall, considerada uma das figuras mais importantes da luta cultural e ambiental de 
Cabo Frio.
O espaço conta com um memorial, que narra de forma resumida a história de  Cabo Frio, da Passagem e de artistas ilustres como Teixeira e Souza, Victorino Carriço, Antônio de Gastão e Clarêncio Rodrigues, um bistrô com degustação de pratos  que valorizam a culinária local.
Para Azul Casu, a identificação dos moradores da cidade com o espaço é um dos motivos do sucesso neste  primeiro ano de funcionamento.
– A ideia foi criar um ambiente que fosse nosso. Dos moradores de Cabo Frio. É para as pessoas se sentirem em casa. Um ambiente bacana, familiar... As pessoas falam que espaço faz parte da rotina delas. Esse é o ponto mais importante. Um espaço que o morador de Cabo Frio pode chamar de seu. Esse é o principal ponto, que ficamos mais orgulhosos de ter conseguido. E os turistas, é claro, são sempre bem-vindos.
Som do Mar. Casa de Cultura e Bistrô. R. Manoel Antônio Ribeiro, 30 - Passagem.

 



Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.