Assine Já
domingo, 17 de outubro de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52181 Óbitos: 2123
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6500 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14677 858
Iguaba Grande 5464 140
São Pedro da Aldeia 6968 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
VIROU ROTINA

Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão na Secretaria de Saúde de Cabo Frio

Ação desta sexta (17) é desdobramento de investigação que apura suposto desvio de R$ 7 milhões na pasta

17 julho 2020 - 16h21Por Redação

Agentes da Polícia Federal cumpriram dois mandados de busca e de apreensão na secretaria de Saúde de Cabo Frio e no almoxarifado da pasta, nesta sexta-feira (17). A ação é um desdobramento da Operação Exam, deflagrada em 15 de junho, que tem como objetivo investigar fraudes em licitações e desvio de recursos públicos federais destinados ao combate à pandemia do coronavírus.

Dentre os materiais apreendidos na operação e que serão submetidos à análise pericial estão notas fiscais, documentos, computadores e amostras dos equipamentos de proteção individual adquiridos pela Prefeitura de Cabo Frio.

Em nota, a Prefeitura de Cabo Frio, confirmou a ação, mas disse que a documentação lecada é relativa às gestões dos ex-prefeitos Alair Corrêa e Marquinho Mendes. “Na manhã desta sexta feira (17), uma equipe da Polícia Federal esteve na Secretaria Municipal de Saúde de Cabo Frio para cumprimento de mandado de busca é apreensão. Os policiais levaram amostras dos EPIs e documentos referentes a gestão municipal dos anos de 2016 e 2017”, diz o texto.

Suspeita de desvio de R$ 7 milhões

Na operação realizada no mês passado, foram mobilizados 90 policiais federais, além de servidores do Ministério Público Federal e da Controladoria-Geral da União. Na ocasião, foram cumpridos 30 mandados de busca e apreensão, em Cabo Frio e em outras cidades do estado e no Espírito Santo. Na ação, foram apreendidos R$ 480 mil em bens.

A investigação teve origem em procedimento do MPF, anterior à pandemia, que apurava licitações e contratos para a realização de exames laboratoriais. Com a colaboração da Controladoria-Geral da União, a investigação incluiu também a aquisição e a distribuiçãode remédios.

Já no âmbito do inquérito instaurado na Polícia Federal, as apurações recaíram sobre os recursos federais para combate à Covid-19 no município.  Calcula-se que as irregularidades podem ter causado um prejuízo de cerca de R$ 7 milhões aos cofres públicos. 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.