Assine Já
domingo, 11 de abril de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
19ºmin
Tropical
Tropical mobile
Coluna

Heterossexualidade homoafetiva

24 fevereiro 2021 - 16h31

Já me senti inúmeras vezes enciumada com os amigos do meu namorado. Eu nunca entendia o porquê. Na verdade, me sentia paranoica; neurótica. Afinal de contas, o que havia na relação deles que me fazia sentir mal? Foi então que um trecho de um livro da Marilyn Frye surgiu no meu Facebook.

Lembro até hoje da sensação de alívio e indignação, por perceber que fazia absolutamente todo sentido. E, de certa forma, limpava a minha barra por sentir aqueles ciúmes. O texto diz o seguinte: “Dizer que um homem é heterossexual implica somente que ele mantém relações sexuais exclusivamente com o sexo oposto, ou seja, mulheres. Tudo ou quase tudo que é próprio do amor, a maioria dos homens héteros reserva exclusivamente para outros homens. As pessoas que eles mais admiram; respeitam; adoram e veneram; honram; que eles imitam, idolatram e com quem criam vínculos mais profundos; a quem estão sempre dispostos a aprender; aqueles cujo respeito, admiração, reconhecimento, honra, reverência e amor eles desejam: estes são, em sua maioria esmagadora, outros homens. Em suas relações com mulheres, o que é visto como respeito é gentileza, generosidade ou paternalismo; o que é visto como honra é a colocação da mulher em uma redoma. Das mulheres eles querem devoção, servitude e sexo. A cultura heterossexual masculina é homoafetiva; ela cultiva o amor pelos homens."

Também lembro de todas as minhas amigas concordarem em número, gênero e grau sobre o assunto, e até hoje, quando reposto, tenho as mesmas respostas em relação a ele. O que acontece na nossa sociedade que faz com que homens olhem para mulheres de forma inferior? Ou como um pedaço de carne, como uma posse, um produto? O que acontece em nossa sociedade que faz com que homens respeitem de igual pra igual outros homens, mas em sua grande esmagadora maioria, não respeitem as mulheres da mesma forma?

E isso está implícito e explícito em tudo. Exemplo: nós mulheres aprendemos que se falarmos pra um cara, que está insistindo e sendo chato, que temos namorado, ele provavelmente desistirá. Não porque ele respeita uma mulher em um relacionamento, mas sim por que ele respeita o outro homem. E isso fica ainda mais nítido quando, logo após receber a informação, muitos ainda perguntam: “mas ele está aqui?”.

Tudo bem, você pode dizer pra mim que, porque somos biologicamente diferentes, criados em contextos de gênero completamente diferentes, isso impossibilita que homens olhem para mulheres da mesma forma que olham para outros
homens. Eu acho isso pura bobagem.

Nada disso impede que uma mulher admire, respeite ou venere seu marido ou qualquer homem, ou qualquer outra mulher de forma igualitária. Mas quando a tarefa é fazer um homem admirar uma mulher por quaisquer que sejam as qualidades, as coisas mudam de figura. Podem admirar suas mães ou filhas, talvez. Mas muito pouco provável que dentro de um relacionamento romântico, um homem, venere sua mulher, admire, ou idolatre, da mesma forma como faz com seus amigos, pais, irmãos ou ídolos. Digo por experiência própria, e digo também em nome de todas as mulheres que
compartilharam comigo durante os últimos anos em que toquei nesse assunto.

Não estou dizendo que é impossível acontecer, nem que não possa ser mudado. Mas é bom pontuar, porque enquanto fazem um esforço brutal pra afastar dos homens qualquer questão relacionada a homossexualidade, enquanto usam
piadinhas mais que ultrapassadas relacionadas a termos do mundo gay de forma pejorativa, diminuindo uns aos outros. Enquanto espancam e assassinam pessoas LGBT+ por puro ódio e preconceito, simplesmente não percebem o quanto a heterossexualidade dos homens, além de ser frágil, é homoafetiva.