ICMBio investiga sujeira no mar de Arraial do Cabo

Prefeito de Arraial do Cabo se encontrou com representantes da Prolagos

Publicado em 29/01/2019 às 10:23

TOMÁS BAGGIO

Cenas que revoltam e entristecem estiveram aos olhos de moradores e turistas de Arraial do Cabo durante o fim de semana na Prainha. O extravasamento da água da lagoa do Parque Público diretamente no mar fez com que muitos decidissem registrar as imagens. Em instantes, vídeos e fotos passaram a circular na internet. Enquanto isso, o resíduo ia se espalhando pelo mar. Como resultado, um rastro de sujeira e três praias impróprias para banho, incluindo a paradisíaca Praia do Forno.

- Vamos apurar as responsabilidades. Se for comprovada a existência de crime ambiental, cabe multa. E a multa é pesada - disse o chefe da Reserva Extrativista Marinha de Arraial do Cabo (Resex-Mar), gerida pelo Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio), Bruno Lintomen.

Desde que a sujeira começou a se espalhar pelo oceano, a Prefeitura de Arraial do Cabo caiu em cima da Prolagos. Tanto é que, na manhã de ontem, um comunicado foi emitido afirmando que o prefeito Renatinho Vianna encaminhou um memorando solicitando "medidas de resposta à respeito da incapacidade do funcionamento do esgoto na cidade" e ressaltando "os altos valores cobrados nas contas dos munícipes".

Questionada, a Prolagos se apressou em contradizer a Prefeitura, afirmando que a rede que se rompeu, causando o extravasamento, é, na verdade, uma rede de drenagem da própria Prefeitura. Disse ainda que ofereceu apoio para recuperação de áreas impactadas pela chuva de sexta-feira (veja a nota da Prolagos no fim do texto).

Sobre isso, a assessoria da Prefeitura disse que uma equipe da Secretaria de Serviços Públicos fechou a tubulação rompida e alegou que "a Prolagos assumiu a concessão do esgoto na cidade há três anos e não deu início às obras previstas, como cinturão de captação do esgoto na Praia dos Anjos e também na Prainha, que poderia ter evitado o ocorrido, pois a lagoa do Parque Público acaba recebendo esgoto de ligações irregulares que deveriam ser desfeitas pela Prolagos".

A concessionária, por sua vez, afirma que cumpre à risca as regras do contrato de concessão e todos os prazos previstos.

- Em princípio, a hipótese é que seja um caso de poluição. Vamos fazer os estudos para apurar a gravidade disso. Pode prejudicar a pesca, que é a atividade principal da Resex, pois pode afetar a fauna e a flora marinhas. Se for confirmado, vamos qualificar dentro da lei de crimes ambientais - disse Bruno Lintomen.

A lagoa do Parque Público da Prainha formada pelo acúmulo da água da chuva, mas está repleta de limo e outras impurezas que, segundo Bruno, podem prejudicar o oceano. Tanto é que o rastro da sujeira fez com que a Prainha, a Praia dos Anjos e até a Praia do Forno ficassem impróprias para banho.

No entanto, a própria Prefeitura admitiu que ligações irregulares também levam esgoto para a lagoa do Parque Público, o que pode agravar a situação do mar com o extravasamento.

Prefeito recebe representantes da Prolagos

Ontem, o prefeito Renatinho Vianna recebeu representantes da Prolagos no gabinete para tratar do assunto. Segundo o comunicado emitido pela Prefeitura, "foi colocada em pauta a necessidade de um novo estudo da rede de esgoto do município a fim de minimizar os efeitos das chuvas fortes". No encontro ficou definido que equipes técnicas seguirão fazendo o monitoramento da qualidade da água do mar.

Estiveram presentes na reunião Douglas Jordão, Gerente Operacional, Sergio Braga, Diretor Presidente, Marcos Valério, Diretor Operacional e Ricardo Azevedo, responsável pelo setor de Responsabilidade Social.

Veja a nota da Prolagos:

"As fortes chuvas que caíram na região na última sexta-feira causaram transtornos em diversas localidades. No entanto, não houve danos nas redes de abastecimento de água, nem nos cinturões de esgoto administrados pela Prolagos. Desde o primeiro momento, a empresa entrou em contato com todos os prefeitos da área de concessão, oferecendo apoio para os trabalhos de recuperação das áreas impactadas, cedendo máquinas, equipamentos e pessoal. No bairro Baixo Grande, em São Pedro da Aldeia, por exemplo, as equipes auxiliaram com retroescavadeira e caminhão pipa na limpeza das ruas e retirada dos pertences danificados dos moradores que tiveram suas casas atingidas. Em Arraial do Cabo um dos pontos mais prejudicados foi a Prainha, que em função do rompimento da rede de drenagem pluvial, sob responsabilidade da Prefeitura Municipal, recebeu a água represada na lagoa do Parque Público. Em atendimento à solicitação da Prefeitura Municipal de Arraial do Cabo, a Prolagos coletou amostras de água na Prainha e Praia dos Anjos na tarde desta segunda-feira. A amostra será enviada para um laboratório credenciado pelo Inea, que vai analisar a suspeita de contaminação causada pela descarga da rede de drenagem pluvial causada pelo excesso de chuva na sexta-feira à noite. O resultado deverá sair em 20 dias e será encaminhado para a Prefeitura Municipal. Nesta manhã, a direção da Prolagos se reuniu com o prefeito Renatinho Viana para avaliar em conjunto de que forma a empresa pode auxiliar a prefeitura na solução dos problemas".

Veja também

Compartilhe:  

COMENTÁRIOS

EXPEDIENTE

Rodrigo Cabral

Diretor

Fernanda Carriço

Chefe de Reportagem

fernanda.carrico@folhadoslagos.com

Redação, Administração, Publicidade e Assinatura

Avenida Francisco Mendes 226, loja 06, Centro - Cabo Frio - RJ

Propriedade da Sophia Editora Eireli - ME.

CONTATO

 

Redação

folhadoslagos@ig.com.br redacao@folhadoslagos.com
(22) 2644-4698 - Ramal 206
(22) 99613-2841 | (22) 99933-2196

Publicidade

(22) 2644-4698 - Ramal 215
(22) 99887-3242

Central do Assinante

(22) 2644-4698
(22) 99776-2956