Assine Já
domingo, 23 de fevereiro de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
20ºmin
Apartamento
barba

Traficante ligado a facção de São Paulo é preso na Praia do Peró

‘Barba’ tinha casas em Cabo Frio para esconder armas e drogas

25 setembro 2014 - 08h37Por Foto: 25º BPM (Cabo Frio)
 Traficante ligado a facção de São Paulo é preso na Praia do Peró

Por meio de denúncia anônima repassada por mensagens instantâneas ao Portal dos Procurados, policiais militares do 25ª BPM (Cabo Frio), detiveram na noite de quarta-feira (24) na Rua Paraíba na Praia do Péro, em Cabo Frio, o casal Edson Soares Marcos, conhecido como Barba e Alice Laura da Silva Gurjão. De acordo com a PM, eles estariam ligados a traficantes de uma facção criminosa de São Paulo e seriam os responsáveis por recepcionar os membros da quadrilha paulista na Região dos Lagos. 

De acordo com as informações da ocorrência policial, Eles fazem parte da quadrilha do ex-líder da facção que atua em São José dos Campos, Ronny Faria e Silva, o Roninho do PCC, que foi preso em fevereiro de 2014, em Cabo Frio em uma ação estratégica da Polícia Militar das cidades de Duque de Caxias e  Cabo Frio.

O casal mantinha várias casas e quitinetes alugadas na localidade, com o objetivo de esconder drogas e armas. Com eles foram encontrados três armas municiadas, sendo dois revolveres calibre 38 e uma pistola calibre 22, além de 23 papelotes de cocaína, 50 gramas da mesma droga, 200 gramas de crack, balança de precisão, touca ninja, luva, joias em ouro e anotações da contabilidade do tráfico local. Eles foram autuados por tráfico de drogas e porte ilegal de armas. 

O casal e o material apreendido foram encaminhados para 126ª DP (Cabo Frio), onde foi feito a ocorrência policial e o criminoso permaneceu preso. Alice foi ouvida como testemunha e liberada. A prisão de  Roninho aconteceu durante uma suposta negociação entre a PM e o traficante. Alguns policiais teriam fingido aceitar um suborno de R$50 mil em troca da libertação de três presos do grupo. 

RELEMBRE O CASO:

Ronninho do PCC foi preso em fevereiro numa operação montada pela PM após informações do 15º BPM (Duque de Caxias) de que parte da quadrilha estaria em Cabo Frio com armas e R$ 50 mil em espécie. A Polícia Militar armou um cerco com agentes do Serviço Reservado (P2) fingindo aceitar uma propina de R$ 50 mil em troca da liberdade de comparsas que foram presos na tentativa de roubar o pagamento dos funcionários da prefeitura de Caxias.

A entrega do dinheiro foi marcada em um local a menos de  um quilômetro do batalhão da PM em Cabo Frio. A mulher do procurado, Suênia Maria Lima Gomes, 31, foi entregar a pasta com o dinheiro ao policial, que deu voz de prisão à cúmplice.  Ao perceber a ação da PM, Roninho saiu do carro atirando com uma metralhadora contra os policiais. Suênia e os outros integrantes da quadrilha fugiram. Ronny, que encabeçava a lista dos mais procurados do estado de São Paulo, foi baleado na perna na troca de tiros com a polícia. Na operação, um fuzil Colt 556 com munições e uma pistola Glock 9 milímetros, ambas de uso restrito, foram apreendidas .