Assine Já
domingo, 15 de dezembro de 2019
Região dos Lagos
29ºmax
21ºmin
Apartamento
AP REC BANNER
Servidores

Prefeitura e servidores conseguem chegar a um acordo neste Dia do Trabalhador

Governo de Cabo Frio vai pagar horas extras reivindicadas pelos trabalhadores

01 maio 2014 - 12h24Por Nicia Carvalho
Prefeitura e servidores conseguem chegar a um acordo neste Dia do Trabalhador
Um dia depois de cruzarem os braços, os servidores municipais de Cabo Frio conseguiram arrancar nesta quinta-feira, Dia do Trabalhador, um acordo com a prefeitura. Ficou decidido que as 80 horas extras dos guardas municipais referentes a abril e carnaval serão pagas na segunda-feira. Com isso, os servidores já voltaram ao trabalho. Mas ainda há outros problemas a ser resolvidos. Diante da reivindicação dos trabalhadores, a secretaria de Estatística fará levantamento das condições de trabalho das instalações da guarda municipal e marítima no Jardim Esperança, Tamoios, São Cristóvão e na Passagem. Guardas reclamam da estrutra precária: faltam camas e colchões e, além disso, os alojamentos não teriam separação para homens e mulheres.
Os servidores ainda exigem a exoneração do Superintendente da Guarda Marítima e Ambiental (GMA), o comandante Sérgio Guedes. O secretário de Estatística da prefeitura, Alex Garcia, que representou o prefeito Alair Corrêa (PP) na negociação, disse que vai apurar as denúncias. 
Segundo Fábio Claudino, vice-presidente do Sindicato dos Servidores Municipais,  os guardas marítimos sofrem retaliações do superintendente.
– Ele (Guedes) é militar e leva o comando assim. Há queixas de que ele trata mal as pessoas, inclusive agredindo com palavras. Aí fica difícil – contou Claudino.
Ficou acordado que, na segunda-feira, às 9h, está agendada uma entrevista com os guardas marítimos, com perguntas elaboradas pelo sindicato. Após a apuração, o documento será encaminhado ao prefeito Alair Corrêa, que terá 15 dias para se pronunciar sobre o caso.  Sobre as horas extras, Garcia garantiu aos trabalhadores que, até segunda-feira, as horas trabalhadas serão pagas.
– O Alex (Garcia) disse que pediria a própria exoneração se o prefeito não cumprir com a proposta que ele foi responsável de trazer para a categoria. 
Feriado grego - O anúncio do corte das horas extras caiu como uma bomba entre os servidores, principalmente por ter sido feito às vésperas do feriado do Trabalhador. A notícia fez com que a categoria apelidasse a folga de presente de grego.
– Foi um enorme presente de grego aos trabalhadores municipais – completou Danielle Rabelo, agente da Guarda.
Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Olney Viana, todos os 295 guardas fazem horas-extras, uma vez que o expediente de 24 horas de serviço por 48 horas de descanso resulta em um acréscimo de 80 horas às 160 que fazem parte da carga horária mensal.
– Estamos mobilizando os servidores da Guarda Municipal e da Saúde, que são os mais afetados. A paralisação não tem data para terminar – afirmou ele.
Ontem, antes do início do movimento grevista, o prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa,  divulgou nota oficial confirmando o corte no pagamento de horas extras dos funcionários da prefeitura. Ele já havia antecipado a notícia há duas semanas, durante entrevista em um programa de rádio. Na ocasião, a fala do prefeito provocou uma paralisação dos funcionários da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Parque Burle.
De acordo com o comunicado, “a medida ora tomada se deve ao fato do crescimento do valor da folha de pagamento do funcionalismo municipal, tornando difícil para a administração fazer este pagamento. Além disso, o RH apresentou um levantamento com mais de 2 mil funcionários recebendo tais acréscimos, sendo que a grande maioria faz essas horas extras ou dobram seus salários sem qualquer necessidade para o município, já que temos mais de 14 mil funcionários que podem perfeitamente preencher esse espaço, tornando assim desnecessário que os funcionários trabalhem acima do horário contratual, se sacrificando, quando outros servidores não trabalham”.