Assine Já
segunda, 18 de outubro de 2021
Região dos Lagos
21ºmax
18ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52181 Óbitos: 2123
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6500 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14677 858
Iguaba Grande 5464 140
São Pedro da Aldeia 6968 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Economia

​Região perde 569 vagas de emprego em maio

​Juntos, Cabo Frio, Arraial, Búzios e São Pedro tiveram mais de 2 mil demissões

29 junho 2019 - 10h06
​Região perde 569 vagas de emprego em maio

RODRIGO BRANCO

Cabo Frio e as cidades vizinhas perderam 569 empregos de carteira assinada em maio, segundo o levan- tamento mensal feito pelo Cadastro Geral de Empre- gados e Desempregados (Caged), vinculado ao Mi- nistério da Economia. O número é a diferença entre o número de contratações e de demissões feitas na região.

Juntas as empresas sediadas no município cabofriense, em Arraial do Cabo, São Pedro da Aldeia e Búzios demitiram 2.406 pessoas no quinto mês do ano. No mesmo período em 2018, as quatro cidades perderam 361 vagas e tiveram 1.950 demissões.

Apenas em Cabo Frio,foram extintas 211 vagas de emprego, sendo realizadas 1.044 contratações e 1.255 dispensas. A situação é ligeiramente melhor que a registrada em maio do ano passado, quando 247 postos de trabalho foram fechados. Naquela ocasião, as firmas cabofrienses demitiram menos (1.143), mas também admitiram menos pessoas (896).

Um caso que chama atenção negativamente é o de São Pedro da Aldeia que costuma ter desempenho superior ao dos vizinhos. O rendimento do município na geração de empregos caiu drasticamente de um ano para o outro. Em maio de 2018, as empresas aldeenses geraram 31 novos empregos, ao passo que nos 31 dias do mesmo mês em 2019, o município perdeu 207 vagas.

Comparando-se o acumulado entre os meses de janeiro e maio nos dois anos fica evidente o desaquecimento do mercado de trabalho na região em 2019.

Enquanto nos cinco primeiros meses do ano passado, os quatro municípios registraram a perda de 869 vagas de trabalho, agora; este número subiu para 1.125 postos extintos, de acordo com o Caged.

Em Cabo Frio, a perda de empregos com carteira assinada subiu quase 50% de um ano para o outro. Entre janeiro e maio de 2018, foram 514 vagas extintas (5.383 admissões e 5.897 demissões) contra 760 vagas perdidas no mesmo período deste ano (5.645 contratações e 6.405 demissões).

O comércio e a construção foram os setores econômicos que mais tiveram impacto no resultado. O primeiro segmento perdeu 225 vagas nos quatro municípios (125 apenas em Cabo Frio) em maio e o segundo, 151.

Rio e Brasil

De acordo com o levantamento do Caged, a diferença entre admissões e dispensas também foi negativo no Estado do Rio de Janeiro como um todo. No quinto mês do ano, 100.218 fluminenses perderam seus empregos, enquanto apenas 95.929 foram admitidos. Uma perda de 4.289 vagas de carteira assinada.

Em nível nacional, conforme a Folha antecipou ontem, o desempenho foi o oposto. Foram criados 32.140 postos de trabalho. Ao todo, foram contratados 1.347.304 trabalhadores e dispensados 1.315.164.