Assine Já
sexta, 13 de dezembro de 2019
Região dos Lagos
28ºmax
20ºmin
Apartamento
AP REC BANNER
politica

Reforma administrativa emperra e silêncio impera no governo de Cabo Frio

Três trocas foram feitas e duas pastas do governo estão vagas

19 junho 2014 - 22h03
Reforma administrativa emperra e silêncio impera no governo de Cabo Frio
A anunciada reforma administrativa na Prefeitura de Cabo Frio ainda não deslanchou. Mais de dois meses depois de anunciar que faria mudanças no primeiro escalão, o prefeito Alair Corrêa realizou três alterações, todas entre secretários que já participam do governo. Duas pastas ainda estão vagas e nenhuma delas foi extinta. No dia 11 de abril, Alair anunciou que reduziria o número de secretarias de 28 para 18. No entanto, o site da prefeitura mostra que o número real de secretarias é de 32. Contando com as procuradorias, superintendências e a Controladoria, o número de cargos no primeiro escalão chega a 38.
Segundo as informações apuradas pela Folha, o objetivo é de que pelo menos a Secretaria de Saúde seja ocupada por um nome novo no governo. A pasta está sem comando desde a saída do ex-secretário Dirlei Pereira na semana passada. Apesar de não ter anunciado a saída dele oficialmente, o prefeito Alair Corrêa fez uma vistoria na sede da secretaria esta semana e ainda não anunciou quem vai ocupar o comando do setor. Dirlei, por sua vez, também está com o futuro indefinido e espera voltar para a chefia de gabinete.
Outras mudanças foram confirmadas nas secretarias de Fazenda, Administração, Serviços Públicos e Desenvolvimento da Cidade.
Na Fazenda, a saída de Valdemir Mendes deu lugar para o irmão do prefeito, Axiles Corrêa, que antes era secretário de Administração. A pasta deixada por Axiles já foi ocupada por Dermeval Vasconcelos Soares. E Valdemir Mendes, embora cotado para a Secretaria de Serviços Públicos, acabou sendo nomeado na Secretaria de Desenvolvimento da Cidade, segundo informações do site da prefeitura. Desta forma, a Secretaria de Serviços Públicos consta no site como “aguardando publicação oficial” após a saída do ex-secretário Duca Monteiro, que também não tem destino definido.
Silêncio gera ainda mais especulações
O silêncio dos governistas e a falta de informações oficiais estão dando margem para uma série de especulações desde que a reforma adminstrativa foi anunciada. Diversos nomes foram cogitados, mas a tentativa de agregar novos quadros para o governo ainda não rendeu frutos. Ontem, a reportagem da Folha enviou perguntas para a Secretaria de Comunicação sobre a reforma administrativa, mas as perguntas não foram respondidas.
Quando anunciou a reforma administrativa, o prefeito Alair Corrêa disse que o objetivo seria diminuir o número de secretarias, realinhar as despesas e dobrar os esforços da equipe de servidores para adequar a folha de pagamento aos 54% do orçamento previstos na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).  
– Há secretarias que eu não posso extinguir, como Educação, Saúde, Administração, Turismo e Cultura, por exemplo – disse, alegando, no entanto, que muitas secretarias seriam agrupadas. 
- Estamos implantando um choque de gestão administrativa, fazendo que meu pessoal trabalhe mais e gaste menos - continuou, prometendo enviar um projeto à Câmara na semana seguinte para oficializar as mudanças, o que não ocorreu.