Assine Já
domingo, 26 de janeiro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Apartamento
LGBT

Policiais participam de curso de abordagem

Evento faz parte do Rio Sem Homofobia

15 julho 2014 - 15h02Por Nicia Carvalho
 
Policiais participam de curso de abordagem

Noções sobre preconceito e discriminação, além de orientações sobre como se dirigir ao público LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros). Essa foi a abordagem da capacitação da Jornada Formativa de Segurança Pública e Cidadania LGBT, promovida pelo Governo do Estado, na manhã desta terça-feira (15) em Cabo Frio. Cerca de 130 policiais civis e militares da 25ª Área Integrada de Segurança Pública (AISP), que abrange os municípios da Região dos Lagos, receberam o treinamento, que tem por objetivo, qualificar os agentes na abordagem aos homossexuais em geral.

– Temos que entender quais são os principais tipos de situações que acontecem na comunidade LGBT. A lésbica, por exemplo, sofre dois tipos de preconceito: um por ser mulher e outro em razão da opção sexual – explicou Cláudio Nascimento, coordenador do programa.

Em Cabo Frio, participaram do encontro agentes do 25º Batalhão de Polícia Militar, sediado na cidade, e também de delegacias de municípios como São Pedro da Aldeia, Armação dos Búzios, Araruama, Iguaba Grande, Arraial do Cabo e Saquarema. A expectativa do Programa Estadual Rio Sem Homofobia é formar mais quatro mil agentes até o fim do ano e também a primeira turma de peritos, com cem profissionais. Ao todo, até o fim de 2014, serão cerca de 12 mil agentes capacitados. Segundo o programa, o número representa aproximadamente 20% do efetivo da corporação e o maior da América Latina. Além das noções básicas sobre preconceito, o treinamento trata ainda dos tipos de discriminação, perfil dos autores e, claro, da promoção da cidadania LGBT. Para o policial militar Fábio Silva, 33, o treinamento é importante para ajudar a quebrar e desmistificar preconceitos.

 – Acredito que seja importante, até para ajudar a acabar com preconceito. Tem muitas pessoas que são “cabeças- duras”, então, o curso colabora – opinou o policial que trabalha há cinco anos na Polícia Militar em Saquarema.

Dados – Até o momento, o programa estadual já formou cerca de 7,2 mil policiais civis e militares. Ao todo, a jornada já passou por 13 cidades: Rio de Janeiro, Niterói, Mesquita, São Gonçalo, Duque de Caxias, Volta Redonda, Queimados, São João de Meriti, Nova Friburgo, Petrópolis, Itaperuna, Teresópolis e Magé. A primeira edição do projeto, realizada de 2009 até 2011, contou com a participação de mais de quatro mil profissionais das duas forças policiais do estado do Rio.