Assine Já
segunda, 06 de abril de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
18ºmin
LGBT

Policiais participam de curso de abordagem

Evento faz parte do Rio Sem Homofobia

15 julho 2014 - 15h02Por Nicia Carvalho
 
Policiais participam de curso de abordagem

Noções sobre preconceito e discriminação, além de orientações sobre como se dirigir ao público LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros). Essa foi a abordagem da capacitação da Jornada Formativa de Segurança Pública e Cidadania LGBT, promovida pelo Governo do Estado, na manhã desta terça-feira (15) em Cabo Frio. Cerca de 130 policiais civis e militares da 25ª Área Integrada de Segurança Pública (AISP), que abrange os municípios da Região dos Lagos, receberam o treinamento, que tem por objetivo, qualificar os agentes na abordagem aos homossexuais em geral.

– Temos que entender quais são os principais tipos de situações que acontecem na comunidade LGBT. A lésbica, por exemplo, sofre dois tipos de preconceito: um por ser mulher e outro em razão da opção sexual – explicou Cláudio Nascimento, coordenador do programa.

Em Cabo Frio, participaram do encontro agentes do 25º Batalhão de Polícia Militar, sediado na cidade, e também de delegacias de municípios como São Pedro da Aldeia, Armação dos Búzios, Araruama, Iguaba Grande, Arraial do Cabo e Saquarema. A expectativa do Programa Estadual Rio Sem Homofobia é formar mais quatro mil agentes até o fim do ano e também a primeira turma de peritos, com cem profissionais. Ao todo, até o fim de 2014, serão cerca de 12 mil agentes capacitados. Segundo o programa, o número representa aproximadamente 20% do efetivo da corporação e o maior da América Latina. Além das noções básicas sobre preconceito, o treinamento trata ainda dos tipos de discriminação, perfil dos autores e, claro, da promoção da cidadania LGBT. Para o policial militar Fábio Silva, 33, o treinamento é importante para ajudar a quebrar e desmistificar preconceitos.

 – Acredito que seja importante, até para ajudar a acabar com preconceito. Tem muitas pessoas que são “cabeças- duras”, então, o curso colabora – opinou o policial que trabalha há cinco anos na Polícia Militar em Saquarema.

Dados – Até o momento, o programa estadual já formou cerca de 7,2 mil policiais civis e militares. Ao todo, a jornada já passou por 13 cidades: Rio de Janeiro, Niterói, Mesquita, São Gonçalo, Duque de Caxias, Volta Redonda, Queimados, São João de Meriti, Nova Friburgo, Petrópolis, Itaperuna, Teresópolis e Magé. A primeira edição do projeto, realizada de 2009 até 2011, contou com a participação de mais de quatro mil profissionais das duas forças policiais do estado do Rio.