Assine Já
domingo, 15 de dezembro de 2019
Região dos Lagos
29ºmax
21ºmin
Apartamento
AP REC BANNER
adolescente

Menina de 12 anos que foi morta no Jardim Peró pode ter sido atingida por menor recrutado pelo tráfico

Família, que há um ano já não morava mais na cidade, está de malas prontas para o interior de Minas

04 agosto 2014 - 15h55Por Rosana Rodrigues/Foto: Johnny Costa
Menina de 12 anos que foi morta no Jardim Peró pode ter sido atingida por menor recrutado pelo tráfico

Expulsos pela violência do tráfico de drogas que domina o bairro Jardim Peró, em Cabo Frio, familiares de Nayara Sabino de Carvalho, de 12 anos, assassinada na noite de domingo (3), tiveram que testemunhar a morte da filha no local onde já não moravam mais há cerca de um ano. As circunstâncias nas quais a adolescente foi morta ainda não foram esclarecidas pela polícia, já que o laudo do Instituto Médico Legal (IML) será encaminhado para a Polícia Civil somente em uma semana. No entanto, testemunhas afirmam à Folha dos Lagos que o autor dos disparos seria um menor, que não soube manipular a arma e teria se abrigado na casa da adolescente. A Polícia Civil confirmou a informação no fim da tarde.

No momento do tiro, Nayara estava dentro de casa, deitada na cama, jogando em um aparelho de tablet. A bala que atingiu a menor perfurou vários dos seus órgãos vitais, de acordo com familiares, que estão de malas prontas para uma cidade do interior de Minas Gerais. A menina ainda foi socorrida no Hospital do Jardim Esperança, mas não resistiu aos ferimentos.

Ameaçados por bandidos que dominam o controle da venda de drogas no bairro, os pais de Nayara se mudaram há um ano para um distrito de Arraial do Cabo em agosto do ano passado.  No entanto, na última quinta-feira (31), os pais e mais cinco irmãos decidiram passar o fim de semana na Rua São Paulo, já que não queriam deixar o imóvel tão abandonado.

- Eu já não ia naquela casa há cerca de seis meses. Voltei pra Arraial no domingo mesmo, mas os meus filhos quiseram ficar por causa de uma festinha na Igreja Apostólica Evangélica, que fica em frente - disse o pai da menina, o pedreiro Jocilei Teixeira de Carvalho, que vem trabalhando intensamente para arcar com o aluguel de R$ 450 da casa onde mora atualmente em Arraial.

A titular da 126ª DP, Flavia Monteiro, afirmou que houve uma troca de tiros entre a polícia e traficantes no local e ainda nesta semana irá ouvir testemunhas sobre o caso.

- Vamos aguardar os dados da perícia técnica para avaliar o que aconteceu ao certo no local - adiantou a delegada

A mãe da adolescente, que trabalha numa empresa de estacionamento rotativo, prestadora de serviço da Prefeitura de Cabo Frio, estava deixando o trabalho quando foi avisada, dentro do ônibus, que Nayara teria sido levada para o Hospital do Jardim Esperança. Diante de tamanho desespero, o motorista do coletivo não parou em nenhum ponto para chegar ao destino mais rapidamente. No entanto, a filha não conseguiu resistir aos ferimentos.

O pastor Oséias Aguiar da Silva disse que faz questão de terminar o culto até as 21h para evitar o perigo da violência. No domingo (3), um pouco antes da morte da menina, houve uma confraternização de um membro do templo. A reunião terminou às 21h30, quando o religioso encaminhou todos os freqüentadores para as suas casas. O pastor reserva uma kombi para os que moram mais longe. 

Um tio da menina, que não quis se identificar, disse que o bairro está aterrorizado pelos bandidos e que o tráfico já expulsou muitas famílias. Ela estava inconsolável com a perda da menina.

- Ela era muito especial, doce e adorava cozinhar. Uma tragédia dentro das nossas famílias – comentou, indignado.