Assine Já
segunda, 06 de abril de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
18ºmin
Geral

Ciclovia em Bùzios será realidade, promete prefeitura

Obras começam em até 30 dias

27 maio 2014 - 09h18

Uma grande vitória para os entusiastas do transporte não-motorizado sobre duas rodas em Armação dos Búzios. A prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Obras, anunciou que começará nas próximas semanas a construção da tão sonhada ciclovia que ligará o centro da cidade aos bairros da periferia.

Segundo o titular da pasta, Genilson Drumond, o trabalho terá a duração aproximada de seis meses e está orçado em cerca de R$ 20 milhões. Ele afirmou que as obras contemplarão também o recapeamento do asfalto da Avenida Bento Ribeiro Dantas, o calçamento ao longo da via, a melhoria da iluminação pública e da sinalização e a construção de pontos de ônibus.

– Essa obra faz parte de um convênio da prefeitura de Búzios com o Governo do Estado. Ela já está licitada e deve começar em até 30 dias. Estamos aguardando apenas os trâmites burocráticos finais por parte do Estado – afirmou o secretário.

A notícia representa a solução de um antigo problema dos moradores de comunidades mais distantes do centro da cidade, sobretudo, da Rasa, Cem Braças e Vila Verde. A maioria não tem carro e para se deslocar depende do transporte cicloviário.

Um dos maiores entusiastas da causa é o sacerdote José Alves Filho, o padre Zito, responsável pela Paróquia Sant’Anna e Santa Rita de Cássia, em Manguinhos.

No último fim de semana, dentro das comemorações pela padroeira, o religioso organizou em conjunto com a associação de ciclistas da cidade  e  o movimento ‘Pedala Búzios’ – um passeio ciclístico com o objetivo de não apenas cobrar a construção da ciclovia, mas também alertar sobre os perigos que correm todos que precisam usar a bicicleta como meio de transporte pelas ruas da cidade. Um abaixo-assinado também foi passado durante a festa para pressionar as autoridades.

–  O passeio ciclístico foi para chamar a atenção para aqueles trabalhadores que dependem da bicicleta para se deslocar pela estrada, que não tem acostamento, e correm sempre risco – explica.

Enquanto o projeto não sai do papel, ações são realizadas para proteger os ciclistas são realizadas. Durante o evento, foram distribuídas dezenas de ‘olhos de gatos’, acessório que reflete no escuro e  permite que os motoristas enxerguem as bicicletas durante a noite.

Nada que substitua o que, de fato, interessa: um espaço especialmente destinado para o tráfego seguro sobre duas rodas. Segundo o padre Zito, está previsto um passeio por mês enquanto a sonhada ciclovia não for uma realidade. O próximo está marcado para o próximo dia 8 de junho.

– Queremos convocar toda a população. Esse é um problema de toda a Região dos Lagos e  Bú-zios não está isolado dela. Não há lugar para estacionar, apenas para os carros. Não se prioriza a vida, o ser humano, apenas o capital. Nossa luta vai continuar, em todos os segmentos, para humanizar o trânsito da Região dos Lagos – garante.

Para ele, há três anos na cidade, o problema de mobilidade urbana já o preocupava nos outros lugares pelos quais passou, tais como Niterói, São Gonçalo, São Pedro da Aldeia e Iguaba Grande.