Assine Já
quinta, 26 de novembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 11817 Óbitos: 538
Confirmados Óbitos
Araruama 2355 117
Armação dos Búzios 1070 16
Arraial do Cabo 388 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1107 40
São Pedro da Aldeia 1801 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
cabofrienses

Cabofrienses buscam presentes mais baratos

Consumidores querem gastar menos da média do brasileiro no Dia dos Pais

11 agosto 2017 - 10h36Por Texto e foto: Gabriel Tinoco
Cabofrienses buscam presentes mais baratos

Se o consumidor brasileiro pretende gastar em média R$ 125 com o Dia dos Pais (segundo levantamento do SPC), comemorado neste domingo, os cabofrienses ouvidos pela Folha querem economizar um pouco mais. Os consumidores revelaram que o presente deste ano não passará de R$ 100. Os valores foram menores do que o gasto ano passado. Eles pretendem usar da criatividade para tentar supreender com menos dinheiro na data.
– Vou gastar R$ 100. Queria gastar mais, mas no atual momento não estou podendo. Estou estipulando um valor no máximo. No ano passado, dei uma camisa do Flamengo. Praticamente o dobro do preço. Hoje em dia o aumento das coisas e a escassez de pagamento não me permitem pagar esse valor. Mas, com criatividade, dá para fazer um bom dia dos pais – comenta o estudante Filipe Peçanha, 26.
O autônomo Gustavo Vianna, 21, deu o mesmo presente de Filipe ao pai. Da mesma forma, ele não poderá repetir o presente.
– Deverá ser uns R$ 100. Mas será mais barato que o ano passado, quando dei uma camisa do Flamengo. O meu pai adorou. Ele é muito flamenguista. Hoje, infelizmente, a camisa está fora do orçamento – conta.   
Há também quem pague menos ainda. É o caso da autônoma Elia Gomes, 46, que comprará o presente do filho para o marido.
– Darei no máximo R$ 60. Não sei nem se vou ter esse dinheiro. No último Dia dos Pais, gastei R$ 99 com uma bermuda. Nesse ano pretendo menos – diz.
Na tarde de ontem, vários consumidores procuravam o melhor preço nas vitrines das lojas. Um deles era o estudante Daniel Martins, 20, que ainda decide o que o pai ganhará no domingo.
– Estou olhando nas lojas para ver o melhor custo-benefício. Não dá para sair comprando sem olhar antes. Nessa crise financeira é complicado. Dei um perfume para o meu pai no ano passado de R$ 189. Esse ano o presente deve ser por volta de R$ 100.
Mas, apesar da economia, as lojas registraram aumento na Semana dos Pais. A Art In Ouro apostou na promoção ‘A Hora É Agora Paizão’ para lucrar com a data. 
– As vendas estão aumentando bastante. Vem gente perguntando pela promoção. Acho que houve uns 50% de aumento. Todas as alianças da casa estão em promoção – disse a gerente Jéssica Marinho, 25, que oferece relógios que custavam R$ 280 e R$ 400 e, com a promoção, passaram a valer R$ 149 e R$ 199, respectivamente. 
A Eskina da Ekonomia, no Itajuru, também tem um movimento melhor. O carro-chefe da loja para esse Dia dos Pais são as canecas personalizadas. 
– Está dando uma melhorada muito boa. Tem bastante caneca personalizada saindo. Todas para agradar os pais – finaliza a vendedora Janaína Monteiro, 37.