Assine Já
quinta, 29 de julho de 2021
Região dos Lagos
17ºmax
13ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46093 Óbitos: 1865
Confirmados Óbitos
Araruama 11325 353
Armação dos Búzios 5456 57
Arraial do Cabo 1564 87
Cabo Frio 12599 755
Iguaba Grande 4756 114
São Pedro da Aldeia 6144 273
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Após o tombo, royalties têm ligeira subida

Cota mensal de setembro para Cabo Frio é de R$ 12,4 mi; município retoma anistia fiscal

23 setembro 2019 - 20h01Por Rodrigo Branco
Após o tombo, royalties têm ligeira subida

Não foi o que o governo municipal esperava, mas a cota mensal de setembro dos royalties do petróleo para Cabo Frio teve um ligeiro aumento, depois do tombo de agosto, quando o repasse caiu cerca de R$ 3 milhões em relação ao mês anterior, passando de R$ 14,2 milhões para R$ 11,3 milhões. 
Segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP), Cabo Frio terá direito a receber o valor de R$ 12,4 milhões. Até o fechamento desta edição, o valor não havia sido creditado pelo Tesouro na conta do município, o que deve acontecer hoje.

Pelas estimativas da Secretaria Municipal de Fazenda de Cabo Frio, a cota de setembro voltaria a bater na casa dos R$ 13 milhões. Apesar do declínio nos últimos dois meses em relação ao restante do ano, o município não tem do que reclamar da arrecadação com o recurso de compensação este ano. Apenas com as cotas mensais, já entraram nos cofres cabofrienses pouco mais de R$ 113 milhões em 2019. 

Contando com as parcelas trimestrais, referentes às participações especiais e recebidas em fevereiro, maio e agosto (que totalizam R$ 27,5 milhões), o óleo extraído na Bacia de Campos já rendeu em torno de R$ 140 milhões em oito meses.

A preocupação, contudo, está em um horizonte de pouco menos de 60 dias, mais precisamente em 20 de novembro, para quando está marcado o julgamento  no Supremo Tribunal Federal (STF), da ação direta de inconstitucionalidade (ADI)   que impede a nova forma de partilha dos royalties entre estados e municípios, o que pode comprometer seriamente as finanças dos produtores de petróleo, ainda bastante dependentes do recurso para cumprir as obrigações.

Nesse cenário, conforme a Folha antecipou há cerca de duas semanas, a Prefeitura de Cabo Frio retomou a campanha de anistia fiscal  (leia ao lado) para contribuintes que estão inadimplentes com impostos e taxas municipais.

–  Os royalties são uma fonte de recurso importante, mas precisamos aumentar a nossa arrecadação própria, para acabarmos com essa dependência das transferências de verbas estaduais e federais sobre as quais não temos controle – disse o secretário municipal de Fazenda, Clésio Guimarães Faria. 

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 29 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições na porta de casa, de terça a sábado. Ligue já: (22) 2644-4698. *Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.