Assine Já
quinta, 23 de janeiro de 2020
Região dos Lagos
23ºmax
20ºmin
Geral

Inea e PM fazem choque de ordem em Búzios

Barraca e dormitório são derrubados; quiosques e casa foram notificados no Parque Costa do Sol

20 setembro 2019 - 19h49
Inea e PM fazem choque de ordem em Búzios

Policiais militares do 25º Batalhão, agentes do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e guarda-parques do Parque Estadual da Costa do Sol (PECS) realizaram ontem uma operação de choque de ordem em localidades invadidas dentro dos limites do parque em Armação dos Búzios.
No bairro Vila Caranga, foram desfeitos uma barraca comercial e um dormitório que, segundo o chefe do parque, Marcelo Morel, servia de ponto de venda de crack. Quatro quiosques comerciais recém-instalados e uma casa residencial de pequeno porte foram notificados para serem desfeitos dentro de 72 horas. 

No local, os agentes verificaram dois pontos com desmatamento na parte superior da localidade. De acordo com denúncias anônimas, o ponto servia de posto fixo do tráfico de drogas dentro da mata. Por sua vez, a prefeitura será notificada para a retirada dos entulhos gerados.
Na Baia Formosa, a ação foi na Área de Proteção Ambiental (APA) do Pau Brasil. No local, que é uma zona de ocupação controlada (ZOC), foi verificada a existência de uma rua construída em direção ao costão rochoso e de dezenas de imóveis em construção em forma de mutirão, aparentemente sem licenças. 

De acordo com a chefia do parque, as pessoas que estavam no local não assumiram a propriedade dos imóveis. Foi constatada ainda a abertura de uma rua em meio aos lotes, sendo determinada ao operário a paralisação e identificação do responsável.

– Na área do PECS constatamos diversas cercas demarcando lotes de pequeno e médio porte. Constatamos uma área grande com vegetação nativa original e em sua borda pelo menos três mil metros desmatados e galhadas prontas para queima. Havia dez pessoas que se evadiram correndo pelas trilhas e pela estrada José Bento Ribeiro Dantas, abandonando ferramentas e roupas, material foi confiscado – explicou Morel.

Como não foi possível apontar a autoria do crime, será necessária uma nova expedição para realização de laudo e perícia.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 29 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições na porta de casa, de terça a sábado. Ligue já: (22) 2644-4698. *Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.