Assine Já
quarta, 04 de agosto de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
14ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46659 Óbitos: 1894
Confirmados Óbitos
Araruama 11510 362
Armação dos Búzios 5522 58
Arraial do Cabo 1591 88
Cabo Frio 12723 768
Iguaba Grande 4824 117
São Pedro da Aldeia 6240 275
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
BANDEIRA AMARELA

Relatório do Governo do Estado classifica novamente região como de baixo risco para Covid-19

De acordo com a Secretaria Extraordinária de combate à doença, 92% da população do Rio mora em áreas de bandeira amarela

19 agosto 2020 - 16h30Por Redação
A Baixada Litorânea, onde se situa a Região dos Lagos, voltou a ser classificada como de baixo risco para Covid-19, de acordo com o último relatório da Secretaria Estadual Extraordinária de Enfrentamento à doença, divulgado nesta terça-feira (18). Esta é a quarta atualização da nota técnica e painel de indicadores sobre a pandemia de coronavírus no Rio de Janeiro.
 
O estudo revela que, entre as nove regiões nas quais o estado é dividido, sete estão classificadas como bandeira amarela, indicativo de risco baixo para a doença, incluindo a Baixada Litorânea. São elas: Metropolitanas I e II, Baía de Ilha Grande, Noroeste, Norte e Serrana. Juntas, todas abrangem 92,4% da população fluminense.

Do último Mapa de Risco, publicado em 4 de agosto, para o atual, as regiões Baía de Ilha Grande, Baixada Litorânea, Noroeste e Serrana avançaram da bandeira laranja (indicativo de risco moderado) para a amarela. Já o Médio Paraíba manteve a cor laranja por causa da variação positiva no número de óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG); e o Centro-Sul Fluminense, que estava amarelo, retornou à bandeira laranja devido à variação positiva do tanto do número de casos quanto de óbitos por SRAG. O nível de risco para o estado, como um todo, é baixo, indicado pela bandeira amarela.

A nova versão do Pacto Covid analisa a Semana Epidemiológica 31 (de 26 de julho a 1 de agosto) em relação à Semana Epidemiológica 29 (de 12 a 18 de julho). A tendência de evolução para cor amarela em todo o estado pode ser observada, na prática, pela redução dos indicadores analisados diariamente pela Secretaria de Estado de Saúde, como taxa de ocupação de leitos, e casos e óbitos por coronavírus, segundo a secretária extraordinária de Covid, Flávia Barbosa.

"Acompanhamos as regiões Metropolitana I e II, onde vivem 73% da população fluminense, se mantendo em risco baixo para Covid por seis semanas seguidas. O movimento de interiorização da epidemia observado nos demais municípios também já apresenta índices decrescentes. A bandeira amarela avançando para mais regiões do estado permite a flexibilização gradativa de medidas de isolamento decretadas anteriormente", aponta a secretária.

Para a classificação do Pacto Covid, são considerados os indicadores de taxa de positividade de pacientes testados para coronavírus; e de variação de casos e óbitos por SRAG; de taxa de ocupação de leitos destinados a SRAG; e de previsão de esgotamento de leitos de UTI para SRAG. As recomendações de isolamento social variam de acordo com cada nível de risco. A coloração das bandeiras e os riscos indicados variam entre roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.