Assine Já
quarta, 04 de agosto de 2021
Região dos Lagos
20ºmax
13ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46523 Óbitos: 1889
Confirmados Óbitos
Araruama 11454 362
Armação dos Búzios 5517 58
Arraial do Cabo 1588 87
Cabo Frio 12706 765
Iguaba Grande 4804 116
São Pedro da Aldeia 6205 275
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
ZONA LARANJA

Novo mapa da Covid no estado do Rio aponta Baixada Litorânea como única região com risco moderado

Após meses avaliada como de baixo risco, área que engloba Região dos Lagos mudou de faixa no último relatório

06 novembro 2020 - 20h27Por Redação

A Subsecretaria Extraordinária de Covid-19 divulgou nesta quarta-feira (4) a nona edição do Mapa de Risco da Covid-19. Nele, o Estado do Rio permanece classificado em bandeira amarela, que representa baixo risco da doença. Apenas uma das nove regiões do estado apresentam risco moderado, com bandeira laranja: Baixada Litorânea. Nessa região vivem 6,68% da população do estado.

As oito regiões classificadas em amarelo, de baixo risco para Covid-19, são: Metropolitanas I e II, Baía da Ilha Grande, Médio-Paraíba, Noroeste, Norte, Centro-Sul e Serrana. Juntas, elas concentram 93,32% da população do estado.

No geral, houve em todo o estado uma redução nos números de óbitos (-47,59%) e casos (-33,46%) na comparação entre as duas semanas analisadas. A taxa de ocupação de leitos de enfermaria destinados aos pacientes de Covid ficou em 37,36%, e a de leitos de UTI, em 49,84%. Apenas a previsão de esgotamento de leitos de UTI e a taxa de positividade para Covid (dois dos seis indicadores usados no cálculo) pontuam e ainda mantêm o Estado do Rio na bandeira amarela.

Na Região da Baixada Litorânea, houve aumento de 100% no número de óbitos e uma taxa de positividade para Covid-19 de 33,24%. Porém, a região também apresentou queda de 40,32% nos casos e taxa de ocupação dos leitos de UTI e enfermaria, respectivamente, de 35,17% e 31,76%, mantendo a classificação de risco moderado.

Danilo Klein, médico Superintendente da Subsecretaria, explica como os dados afetam a classificação.

“Somente a Baixada Litorânea retrocedeu para a bandeira laranja em todo o estado, atingindo 11 pontos no total. Isso ocorreu devido a um aumento no número de óbitos. Da semana epidemiológica 41 para a 43, foram mais sete óbitos em Saquarema e dois em Rio das Ostras. Apesar da oscilação positiva no número de óbitos, em números absolutos, ele ainda é pequeno. Requer cuidado, mas ainda é pequeno”, disse Klein.

Apesar do aumento de óbitos na Baixada Litorânea, o estado em sua totalidade está em equilíbrio.

“O Rio de Janeiro se mantém em um platô epidêmico. Por semana, são cerca de 1500 internações e 400 óbitos por SRAG. Ou seja, não houve aumento ou queda quando analisamos o estado como um todo, o que faz com que se mantenha o risco baixo”, esclarece Klein.

A edição anterior do Mapa de Risco, a oitava, que foi divulgada em 19 de outubro, mostrava as Regiões Norte e Centro-Sul em bandeira laranja. A nona edição compara as Semanas Epidemiológicas 43 (18 a 24 de outubro) em relação à 41 (04 a 10 de outubro). Taxa de positividade de pacientes testados para coronavírus; variação de casos e óbitos por SRAG; taxa de ocupação de leitos destinados a SRAG; e previsão de esgotamento de leitos de UTI para SRAG são os indicadores utilizados na análise.

As bandeiras e os riscos indicados variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo). Cada nível de risco representa um conjunto de recomendações de isolamento social.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.