Assine Já
terça, 30 de novembro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
22ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53491 Óbitos: 2186
Confirmados Óbitos
Araruama 12497 447
Armação dos Búzios 6580 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15408 901
Iguaba Grande 5564 147
São Pedro da Aldeia 7047 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
PARA REDUZIR CIRCULAÇÃO

Governo do Rio estuda antecipar feriados de abril para fim de março

Objetivo é reduzir circulação de pessoas e conter avanço da Covid-19

21 março 2021 - 13h34Por Agência Brasil

O Governo do Estado do Rio de Janeiro estuda antecipar os feriados de abril para março, com o objetivo de reduzir a circulação de pessoas e prevenir o aumento de casos, internações e óbitos por Covid-19. A proposta prevê criar um feriado prolongado entre 26 de março e 4 de abril. Além dos feriados de Tiradentes (21 de abril) e da Semana Santa, seria antecipado também o feriado estadual do Dia de São Jorge, comemorado em 23 de abril.

A ideia foi discutida neste sábado (20) pelo governador em exercício, Claudio Castro, com representantes de empresários de diversos setores, como o comércio, a indústria e o turismo. Também participaram do encontro secretários estaduais da Casa Civil e Governo, os deputados federais Dr. Luizinho e Hugo Leal e os deputados estaduais Marcio Pacheco (líder do Governo), Rodrigo Amorim e Léo Vieira.

Representaram os empresários na reunião o presidente da Fecomércio, Antonio Florencio de Queiroz Junior; a presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Ângela Costa; o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, Paulo Michel; o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, Pedro Hermeto; o presidente da Associação dos Supermercados do Rio, Pedro Paulo; e o presidente do MetrôRio, Guilherme Ramalho. Estiveram presentes ainda representantes da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), da Supervia, da Fetranspor, do Sindicato dos Bares e Restaurantes do Rio, da Associação de Empresas de Eventos, da Apresenta Rio e da Multiplan.

Na manhã deste domingo, o assunto será tratado entre o governador e os prefeitos do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e de Niterói, Axel Grael, em uma reunião no Palácio das Laranjeiras.

Colapso do sistema de saúde

A taxa de ocupação das unidades de terapia intensiva (UTIs) para pacientes com covid-19 no Sistema Único de Saúde tem crescido de forma consistente no estado do Rio de Janeiro. No último boletim do Observatório Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), de 16 de março, a taxa estava em 79% e, segundo a atualização de ontem do painel estadual de monitoramento da pandemia, esse percentual já chegou a 85,5%. Na capital, a situação é ainda pior, com 93% dos leitos de UTI ocupados.  

Qualquer percentual acima de 80% é considerado na zona de alerta crítico pela Fiocruz. A fundação recomendou, na semana passada, medidas para reduzir a circulação de pessoas e promover o distanciamento social em todo o território nacional, com o objetivo de conter o que se considera o maior colapso sanitário e hospitalar da história do Brasil, já que 24 estados e o Distrito Federal haviam superado os 80% de ocupação de leitos na última quarta-feira.

Vacinas

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro prevê realizar amanhã a maior entrega de vacinas contra covid-19 aos municípios desde o início da imunização no estado. Serão distribuídas 759,1 mil doses da vacina CoronaVac (618,2 mil para a primeira dose e 130,9 mil para a segunda dose) e 10 mil doses da vacina Covishield, da Oxford/AstraZeneca.

Desde o início da vacinação, o estado do Rio de Janeiro já recebeu 2.716.120 de doses de vacinas, sendo 2.425.120 da CoronaVac e 391 mil da Covishield. Do total de imunizantes recebidos pelo estado do Rio de Janeiro, 1.869.210 haviam sido distribuídos às cidades fluminenses até quarta-feira.

Até as 9h de hoje (21), 850 mil pessoas receberam ao menos a primeira dose de uma das duas vacinas contra covid-19, segundo o Vacinômetro do governo estadual. A segunda dose já foi aplicada em 294 mil pessoas.

De acordo com o painel Monitora Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz, o número de pessoas vacinadas com a primeira dose corresponde a 6,29% da população fluminense, sendo 2,18% o percentual de pessoas que receberam também a segunda dose.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.