Assine Já
quinta, 07 de julho de 2022
Região dos Lagos
28ºmax
20ºmin
VIAJE BEM Confira 331 hospedagens bem avaliadas na Região dos Lagos
SAÚDE PÚBLICA

Covid-19: balanço das cidades da região aponta cenário epidemiológico sob controle

Municípios alegam queda nos números de novos casos, mas dificultam o acesso às informações

22 abril 2022 - 10h12Por Cristiane Zotich

Esta semana, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou o fim da emergência de saúde pública em decorrência da pandemia da covid-19. Segundo ele, um dos motivos para a decisão foi a melhora do cenário epidemiológico, ou seja, a redução no número de novos casos e de óbitos. O anúncio foi feito pouco mais de um mês após o governo do estado do Rio de Janeiro publicar um decreto liberando os municípios para manutenção, ou não, do uso obrigatório de máscaras.

Nesta terça-feira (19) a Folha dos Lagos tentou checar o cenário epidemiológico dos municípios da Região dos Lagos através do portal da transparência da covid-19, disponível no site das Prefeituras, mas o resultado foi preocupante. Dos sete municípios, apenas Cabo Frio possui dados atualizados diariamente (em Araruama as atualizações são semanais). Todos os outros apresentam problemas com a data das informações ou falta de transparência.

São Pedro da Aldeia foi o primeiro município da região a abolir o uso obrigatório de máscaras de proteção contra a covid-19: desde 4 de março o uso é opcional, sendo obrigatório somente em unidades de saúde públicas e privadas da cidade. A decisão foi feita com base na cobertura vacinal e em um documento que monitora e avalia os índices da doença na cidade. O portal da transparência da covid-19 da Prefeitura aldeense revela que de janeiro deste ano até 14 de abril (quando foi feita a última atualização) foram confirmados 3.514 casos e sete óbitos, sendo 12 casos e um óbito neste mês de abril.

Iguaba Grande foi o segundo município da região a liberar o uso de máscara: no dia 7 de março a Prefeitura informou que apenas nas unidades de saúde e setores administrativos o uso do item de proteção seria obrigatório, assim como nas salas de aulas. A decisão também teria se dado em virtude da cobertura vacinal e redução dos números de novos casos e óbitos. Mas, quem tenta comprovar essas informações no site da Prefeitura não encontra transparência: nesta terça-feira (19) o local informava apenas que a cidade possuía 7.033 casos confirmados e 153 óbitos (números registrados desde o início da pandemia, em 2020), e nenhuma informação sobre datas anteriores que comprovem melhoria no cenário epidemiológico da cidade.

O terceiro município a liberar o uso de máscara foi Búzios, no dia 9 de março. Por lá, o portal da transparência da covid-19 foi atualizado, pela última vez, em 24 de março: de janeiro até essa data o município registrou 1.987 novos casos e 4 óbitos. No dia 10 de março foi a vez do governo de Saquarema abrir mão do uso obrigatório do item de proteção. No município a falta de transparência com os novos casos e óbitos é o mais gritante de toda a região: o portal da transparência está simplesmente zerado. As únicas informações disponíveis são referentes ao número de casos por bairros, faixa etária e gênero, mas não é possível saber quando esses dados foram atualizados pela última vez.

Arraial do Cabo foi o quinto município a desobrigar o uso de máscaras, em 19 de março. Mas quem tenta comprovar o controle do cenário epidemiológico no município encontra um portal da transparência sem transparência: a última atualização foi em 28 de março. E ao longo dos meses anteriores os registros são apenas de forma esporádica e com informações incompletas, apenas com alguns poucos casos confirmados (os óbitos não são registrados no espaço).

O penúltimo município da região a liberar o uso de máscara de forma obrigatória foi Araruama, em 21 de março. No site, as informações do portal da transparência da covid-19 são disponibilizadas de forma semanal. De janeiro até 14 de abril foram 5100 novos casos confirmados (4003 apenas em janeiro, 1023 em fevereiro, 72 em março e dois em abril), e 14 óbitos (cinco em janeiro, seis em fevereiro, um em março e dois em abril).

Cabo Frio foi a última cidade a acabar com a obrigatoriedade do uso de máscaras. O decreto foi publicado no último dia 12 de abril. A exemplo de São Pedro da Aldeia, o portal da transparência da covid-19 da Prefeitura é um dos poucos que possui informações atualizadas diariamente a respeito do cenário epidemiológico. De janeiro até esta terça-feira (19) foram confirmados 5.698 novos casos, e 69 óbitos por covid-19. Neste período, fevereiro foi o mês com mais casos confirmados (2.704) e março com menos casos (857). Em abril já são 115. Já os óbitos chegaram a 69 (22 em janeiro, 18 em fevereiro, 21 em março, e oito até a última terça-feira deste mês de abril).

O último mapa de risco divulgado pelo governo do estado do Rio de Janeiro, divulgado no último dia 14 de abril, mostra que as cidades da Região dos Lagos estão na bandeira verde, quando há risco muito baixo para a covid-19. A situação é a mesma na em toda a Baixada Litorânea, Metropolitanas I e II, e Baía da Ilha Grande. Já o Médio Paraíba, Centro Sul, Serrana, Norte e Noroeste Fluminense seguem em bandeira amarela (baixo risco).

Segundo a secretaria estadual de Saúde, no período analisado (semana de 3 a 9 de abril, com a semana de 20 a 26 de março), o número de internações caiu 69% em todo o estado, saindo de 26 para 8. Os óbitos reduziram 75,8%, passando de 33 para 8. Os indicadores também apontaram que, no período de 05 a 12 de abril, a taxa de positividade em testes RT-PCR foi de 1%. Já a taxa de ocupação de leitos para Covid-19 estava em 21,7% para UTI e 15,4% para enfermaria no último dia 14.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.