Assine Já
quarta, 01 de dezembro de 2021
Região dos Lagos
25ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53693 Óbitos: 2188
Confirmados Óbitos
Araruama 12500 448
Armação dos Búzios 6584 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15591 902
Iguaba Grande 5572 147
São Pedro da Aldeia 7051 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
RELAXAMENTO NOS CUIDADOS

Casos de Covid-19 disparam no verão em Cabo Frio

Pelo segundo mês seguido, município ultrapassa marca de mil registros de testes positivos

05 fevereiro 2021 - 13h52Por Rodrigo Branco

A ‘segunda onda‘ da Covid-19 em Cabo Frio ganha ares de ‘tsunami’ ao se comparar o comportamento da curva de contágio da doença nos dois últimos meses em relação ao restante do período da pandemia. Em janeiro, período de férias e auge da alta temporada, o município registrou 1.141 novos casos confirmados e 65 mortes pela doença. Pelo segundo mês consecutivo, o número de diagnósticos positivos ultrapassa a marca das mil ocorrências. Em dezembro, no que é o recorde até o momento, a Secretaria Municipal de Saúde notificou 1.270 casos, só que com 29 óbitos.

Até então, o pico de contágio havia sido no mês de agosto, com 736 casos confirmados do novo coronavírus. Nos três meses seguintes, foram registrados 537 (setembro); 369 (outubro) e 656 (novembro) novos casos, respectivamente. Nada que se compare à escalada observada desde o fim do ano passado. E os números ainda podem ser maiores. A Vigilância em Saúde Municipal trabalha com ‘dados sujeitos à revisão’, cenário que leva em conta os óbitos em investigação, assim como a defasagem nas notificações por parte das unidades de saúde.

Para a responsável pela Vigilância em Saúde de Cabo Frio, Lucy Pires, a disparada nos casos, nesse momento da pandemia, não é uma surpresa.  

– O aumento no número de casos e de óbitos já estava sendo previsto, tendo em vista as festas de fim de ano, apesar de todas as recomendações de que as pessoas não se aglomerassem. A população não está seguindo essas recomendações. É só sair na rua e ver inúmeras pessoas sem usar máscara; famílias inteiras passando a tarde em áreas comuns. É fácil ver que as pessoas não estão seguindo as regras ideais para evitar a circulação do vírus, que são o uso correto das máscaras, lavar com frequência e adequadamente as mãos, e quando não der usar álcool gel; e não se aglomerar – pondera a especialista.

A conta do relaxamento das medidas de prevenção, sobretudo o distanciamento social, chegou, na opinião do infectologista e pediatra Charbell Miguel Haddad Kury. Para ele, que é doutor e mestre em microbiologia e professor da Faculdade de Medicina de Campos, o atual desenho epidemiológico se definiu a partir das aglomerações observadas no período eleitoral; passando pelas festas de fim de ano, e chegando ao verão, em que até mesmo as pessoas que cumpriam o isolamento nos meses anteriores e voltaram ao convívio social, dado o esgotamento mental pelo regime prolongado de reclusão. 

O especialista aponta ainda que o perfil econômico da cidade e da região como um todo dificulta as ações para impedir a circulação do vírus. 

– A Região dos Lagos tem cidades turísticas, que atraem pessoas do Brasil todo. Essa região se caracteriza por cidades que têm dificuldade extrema de fazer situações de ‘lockdown’ e de isolamento, uma vez que a atividade turística é uma atividade de natureza financeira importante para a cidade – avalia.

Atualmente, o município possui decretos em vigor para normatizar o seu funcionamento dentro dos protocolos sanitários de segurança, contudo, as atividades econômicas, como comércio e Turismo, estão liberadas, assim como o acesso e a permanência nas praias. Até o momento, o governo municipal não sinalizou que fará novas proibições ou restrições.

Em nota, a Prefeitura disse que todas as medidas de prevenção ao Covid-19 são discutidas e definidas durante as reuniões do Gabinete de Soluções, composto por membros do governo e da sociedade civil. Até agora, já foram realizadas três reuniões, que resultaram nos últimos decretos publicados. De acordo com o município, novas medidas são sempre propostas, discutidas e decididas durante essas reuniões.

(*) Veja na edição impressa que está nas bancas como está a vacinação na cidade. 

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.