Assine Já
quarta, 01 de dezembro de 2021
Região dos Lagos
25ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53693 Óbitos: 2188
Confirmados Óbitos
Araruama 12500 448
Armação dos Búzios 6584 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15591 902
Iguaba Grande 5572 147
São Pedro da Aldeia 7051 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
APESAR DA AUTORIZAÇÃO DO ESTADO

Bonifácio descarta reduzir intervalo entre as doses da vacina Oxford AstraZeneca em Cabo Frio

Prefeito se vale de recomendação feita pela Fiocruz

19 julho 2021 - 18h21Por Redação

O prefeito de Cabo Frio, José Bonifácio (PDT), afirmou nesta segunda-feira (19) que o município não reduzirá o intervalo de aplicação  da vacina Oxford AstraZeneca de 12 para oito semanas, conforme recomendou a Secretaria Estadual de Saúde, na semana passada. A declaração foi dada ao repórter Alcineu Ribeiro, durante entrevista no programa Amaury Valério, da Rádio Ondas.

Questionado sobre a suspensão dos mutirões de vacinação que ocorreriam no último e no próximo sábado (17 e 24), Bonifácio disse que o ritmo da campanha depende da quantidade das remessas recebidas do estado. Nesta semana, Cabo Frio aplica a primeira a primeira dose nas pessoas de 38 e 39 anos.

O prefeito argumentou que, sem a aprovação da Anvisa à vacina russa Sputnik V, o município tem que aguardar os envios feitos pela Secretaria Estadual de Saúde. Cabo Frio chegou a reservar R$ 7,5 milhões e a ingressar temporariamente no Consórcio do Norte e Noroeste Fluminense para adquirir os imunizantes russos, mas a Agência Nacional de Vigilância Sanitária só liberou a compra de lotes reduzidos em caráter excepcional para alguns estados do Nordeste.

– Quando a gente suspende é porque realmente houve uma diminuição na remessa por conta do estado. Ele remete para a primeira dose, e remete também a quantidade de vacinas para segunda dose. Nós estamos seguindo rigorosamente. Eu não vou antecipar esse prazo que estão dizendo: reduz o prazo para dar a segunda dose". Eu vou seguir a Fiocruz, que é o melhor instituto de cientistas e pesquisadores que o país tem, reconhecidos internacionalmente. A Fiocruz já disse para o país inteiro: não diminua o prazo para dar a segunda dose. Então Cabo Frio não vai reduzir esse prazo – declarou

Na semana passada, Fiocruz emitiu uma nota sobre o assunto, na qual defende a manutenção do intervalo de 12 semanas entre as duas doses, pois ele "considera dados que demonstram uma proteção significativa já com a primeira dose e a produção de uma resposta imunológica ainda mais robusta quando aplicado o intervalo maior".

A fundação afirmou ainda que o regime de 12 semanas "permite ainda acelerar a campanha de vacinação, garantindo a proteção de um maior número de pessoas" e que "o regime de doses adotado pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) está respaldado por evidências científicas e qualquer mudança deve considerar os estudos de efetividade e a disponibilidade de doses".

Por sua vez, o Governo do Estado defende a diminuição como forma de agilizar a vacinação e proteger a população da variante Delta, que está em franca circulação. Apesar da autorização da Secretaria Estadual de Saúde, a decisão cabe aos municípios. Segundo a Fiocruz, um estudo realizado no Canadá apontou efetividade de 88% contra hospitalização ou morte para a variante Delta, após uma dose da vacina da AstraZeneca.

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.