Assine Já
sábado, 27 de novembro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53350 Óbitos: 2180
Confirmados Óbitos
Araruama 12493 447
Armação dos Búzios 6571 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15299 896
Iguaba Grande 5549 146
São Pedro da Aldeia 7043 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Pandemia

Aumento nos casos de Covid-19 coloca cidades da região em alerta

Búzios admite sobrecarga; Cabo Frio, Arraial e Búzios afirmam ainda estar sob controle

29 novembro 2020 - 15h14Por Tomás Baggio
Aumento nos casos de Covid-19 coloca cidades da região em alerta

O recente aumento nos registros de casos de Covid-19, movimento que atinge diversas regiões do Brasil e particularmente o Estado do Rio e a Região dos Lagos, é motivo de preocupação para os profissionais de saúde, mas as prefeituras de Cabo Frio, Arraial do Cabo, São Pedro da Aldeia e Búzios afirmam que a situação ainda está sob controle. Apesar dos relatos de unidades de saúde com crescente movimento de pacientes, os municípios negam haver superlotação e possibilidade iminente de colapso do sistema de atendimento.

O momento atual da pandemia é tratado como uma incógnita por especialistas. Para o médico sanitarista Beto Nogueira, não está claro que se trata de uma segunda onda da doença.
 
"A gente não sabe se é uma segunda onda, afinal, o Brasil nem saiu da primeira onda. O que estamos vendo é um agravamento que é resultado do afrouxamento das restrições impostas para aglomerações. A abertura das cidades, principalmente no caso das cidades turísticas, certamente irá provocar uma mudança no cenário. O que vimos no último fim de semana no cais de Arraial do Cabo foi impressionante. Parecia que tinham inventado a vacina da Covid. Situações como essa acabam se refletindo alguns dias depois nas unidades de saúde", afirma o sanitarista.

Arraial vem chamando atenção no combate à Covid porque, no dia 17 de novembro, dois dias depois da eleição municipal, o prefeito Renatinho Vianna, que não conseguiu se reeleger, baixou um decreto suspendendo a barreira sanitária que já durava oito meses na entrada da cidade. A medida permitiu a entrada em massa de turistas na cidade. No último fim de semana, emendado pelo feriado do Dia da Consciência Negra, na sexta-feira (20), praias e pontos turísticos como o Cais da Praia dos Anjos, de onde saem os passeios de barco, ficaram lotados.

Mesmo ainda sem o impacto deste fim de semana de cidade cheia, os números mostram um retorno do aumento nos casos em Arraial do Cabo. Quando novembro começou, a cidade estava com 316 casos registrados. O número subiu para 388 no dia 25. O número de óbitos permanece o mesmo: 16 (o último foi registrado no dia 25 de outubro. Segundo a Secretaria de Saúde de Arraial do Cabo, a decisão de retirada da barreira foi tomada após avaliação do relatório do Governo do Estado indicando baixo risco de transmissão, divulgado no início do mês. 

"O índice de contaminação em Arraial permanece o mais baixo da Região. A medida pode ser revogada caso a cidade apresente índices crescentes nas próximas semanas", afirma a Prefeitura em nota.

O secretário de Saúde, Paulo Tripoli, garante que a cidade não baixou a guarda em relação à doença.

"A situação do Covid, na realidade, nunca parou. Estão dizendo que é uma segunda onda, como na Europa, mas não é. Estamos com um aumento grande de testagem desde a semana passada, pois as pessoas estão alarmadas e procurando atendimento quando acham que estão apresentando qualquer um dos sintomas. Muitos dos casos, até o momento, testaram negativo. O aumento do número de testados positivos se dá a partir do momento que as pessoas pararam de fazer o dever de casa. O distanciamento social, que é necessário, não está sendo feito e podemos ver isso principalmente à noite", afirma o secretário, completando:

"Nossa capacidade instalada no momento está em torno de 50%, mas isso não quer dizer que estamos relaxados. A preocupação de todos são as confraternizações de final de ano, quando as pessoas se reúnem e se descuidam. O município não vai promover eventos, pois o decreto de suspensão permanece em vigor", garante ainda.

Em Cabo Frio, a preocupação está relacionada aos relatos de aumento na procura de unidades de saúde. Para a secretária-geral do Sindicato dos Servidores Municipais (Sindicaf), Daiana Olegário, que também é membro do Conselho de Saúde de Cabo Frio, houve falha na aplicação dos recursos durante a pandemia na cidade.

"Como investiram no hospital de campanha, o Unilagos, agora a doença está voltando e não temos mais o hospital. Foi um investimento muito mal feito, que não favoreceu a cidade. Agora temos pessoas aguardando atendimento e os casos aumentando depois do decreto que liberou a cidade. Vemos mortes todos os dias, faltam medicamentos, insumos e EPI's para os funcionários. Sem falar nas demissões que estão trazendo sobrecarga para os demais servidores na linha de frente. Cabo Frio está prestes a ter um colapso a qualquer momento", afirma ela.

A Prefeitura de Cabo Frio nega tal gravidade na situação e garante que equipamentos, medicamentos e profissionais estão disponíveis nas unidades de saúde. A rede municipal de saúde dispõe, no momento, de 22 leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19, sendo que na atualização feita pela Secretaria Municipal de Saúde nesta quinta-feira (26), oito leitos estão ocupados e 14 livres (taxa de ocupação de 36%). Em relação aos leitos de enfermaria, são 16 no total: 10 estão ocupados e seis livres (taxa de ocupação de 63%). 

As taxas de ocupação vêm se mantendo constantes nos últimos sete dias. Até o dia 10 de dezembro, a Prefeitura de Cabo Frio promete colocar à disposição da população mais 10 leitos de UTI no Hospital Municipal de Tamoios, exclusivamente para pacientes com Covid-19.

Sobre o aumento na procura de pacientes com sintomas do novo coronavírus na unidade de referência, a UPA do bairro Parque Burle, a Secretaria de Saúde alega que a unidade "recebe pacientes das cidades vizinhas, muito em decorrência da diminuição das ações no controle da COVID-19 nestas cidades".  

"Ampliamos o atendimento no Jardim Esperança, na primeira quinzena de dezembro vamos reabrir o Hospital de Tamoios com mais 10 leitos para Covid, ficando com mais leitos do que na época do Unilagos. Mas o ideal é não precisar e para isso, não apenas o poder público, mas todos nós precisamos nos proteger", afirma o secretário de Saúde, Bruno Alpacino.

Em uma semana, os casos registrados em Cabo Frio saíram de 3.575 (19/11) para 3.672 (26/11). O número de mortes, no mesmo período, aumentou de 179 para 181.

O prefeito Adriano Moreno considera que a rede de saúde está preparada para o novo momento. 

"O que houve é o resultado das semanas que antecederam a eleição. Muita aglomeração com passeatas e até comícios, que estavam proibidos pelo decreto. Mas estamos relativamente tranquilos, porque a nossa rede municipal de saúde está pronta para atender a demanda. Lembrando que vamos receber um reforço a partir do começo de dezembro, que é o Hospital de Tamoios, que vai ter leitos de UTI para atender a população do Segundo Distrito", afirma ele.

Búzios: ocupação de leitos em 90%

Em Búzios, a Prefeitura afirma ter intensificado e ampliado medidas de combate função do "grande aumento no número de casos confirmados" e "o relaxamento da população em relação ao cumprimento dos protocolos de segurança sanitária", segundo a Secretaria de Saúde, fazendo com que as unidades de saúde estejam "um pouco sobrecarregadas". 

Segundo a Prefeitura, a taxa de ocupação da enfermaria do Hospital Municipal Rodolfo Perissé para casos de Covid-19 está em 90%.

"O prefeito em exercício Henrique Gomes determinou a adoção de ações em diversos setores da cidade, envolvendo o trabalho de todas as secretarias. As barreiras sanitárias localizadas nas duas entradas do município, Rasa e Centrinho, seguem operando normalmente, com a presença de agentes de saúde que realizam a aferição de temperatura de todos que chegam a Búzios. Nesses locais, guardas municipais e guardas marítimos ambientais conferem a documentação de moradores, trabalhadores e visitantes. Para entrar no município é necessário apresentar comprovante de residência ou vínculo de trabalho na cidade. Visitantes devem apresentar o QRCode emitido pelos estabelecimentos comerciais e meios de hospedagem", diz nota da Prefeitura.  

Em São Pedro, situação mais tranquila 

Até esta quinta-feira (26), às 12h30, São Pedro da Aldeia registrou 1.801 casos confirmados de Covid-19, com 1.205 pacientes curados e 76 mortes, segundo os dados da Prefeitura. Nos últimos dez dias a cidade registrou 108 novos casos.

De acordo com a Secretaria de Saúde, não existe superlotação. As unidades de saúde da rede de Atenção Básica estão realizando atendimentos nos bairros e o Pronto-socorro segue absorvendo as demandas gerais.
 
"Atualmente a Unidade Intermediária do Pronto-Socorro Municipal, que atende casos agravados de Covid-19, conta com 8 leitos equipados e apenas 1 ocupado. O Centro de Triagem Covid-19, instalado em frente ao Pronto-socorro, segue em funcionamento das 8h às 20h. O Gabinete de Crise, coordenado pela Secretaria de Saúde, já convocou, em caráter de urgência, uma reunião extraordinária, a fim de avaliar o cenário epidemiológico e traçar novas medidas preventivas", garante a Prefeitura em nota.

Para a secretária de Saúde, Francislene Casemiro, é preciso evitar exposições desnecessárias.

“Estamos registrando uma subida de casos no município e em alguns bairros especificamente. Precisamos contar com a colaboração de cada morador, seja ele do grupo de risco ou não, jovens ou idosos. Com a chegada do verão e a entrada na alta temporada é preciso acender o alerta, a pandemia não acabou e a Covid-19 é uma doença muito grave. A segunda onda é uma realidade no nosso país, precisamos da colaboração da população. Essa ação individual preserva a saúde e a vida dos seus familiares, dos vizinhos e de quem amamos”, reforça a secretária.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.