Municípios da Região dos Lagos intensificam combate à dengue

Doença se prolifera com mais facilidade no verão e exige cuidados

Publicado em 11/01/2019 às 10:21

As cidades da Região dos Lagos estão intensificando ações e planejamentos de combate à dengue e à chikungunya neste verão. A estação mais quente do ano é o período de maior facilidade de proliferação das doenças, por conta da ocorrência de chuvas tropicais que colaboram para a reprodução do mosquito que transmite as mazelas, o Aedes aegypti.

Em Cabo Frio, onde foram registrados 167 casos de dengue em 2018, a Secretaria de Saúde enviou os Protocolos de Manejo Clínico, ou seja, de tratamento, de dengue e chikungunya, para as chefias de enfermagem das unidades de saúde públicas e particulares da cidade. O documento detalha as particularidades na forma de evolução e de tratamento de cada doença para consulta das equipes de saúde durante o acompanhamento dos pacientes.

– Quanto à prevenção, ao longo do ano passado foram realizadas campanhas de conscientização da população. Importante destacar que o principal combate ao Aedes aegypti (transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela) deve ser feito dentro das casas eliminando qualquer recipiente que possa acumular água e que permita a procriação do mosquito - diz a nota enviada pela Secretaria de Saúde de Cabo Frio.

Autoridades do setor estão preocupadas com o alerta de epidemia de dengue emitido pelo Ministério da Saúde para o estado do Rio, e destacam a importância de cada cidadão se proteger individualmente, reforçando o uso de repelentes, mosquiteiros, telas de proteção nas janelas, uso de roupas claras e de calças compridas.

– A previsão do Ministério da Saúde é de que em 2019 exista um aumento significativo dos casos de dengue e chikungunya, já que no Estado do Rio de Janeiro, a Região Metropolitana 2 (São Gonçalo, Niterói e Maricá), além de Campos dos Goytacazes, na Região Norte, já tiveram epidemia no fim de 2018. Apesar de alguns municípios já terem apresentado epidemia, Cabo Frio em relação ao índice de infestação do mosquito (LIRAa), encontra-se em estado de alerta devido às ações de combate realizadas durante todo o ano de 2018 – diz ainda a nota da Secretaria de Saúde de Cabo Frio.

Em Búzios, segundo a Prefeitura, a meta é reduzir para zero os registros de dengue em 2019. No ano passado foram nove casos registrados. A Secretaria de Saúde apos em campanhas de conscientização da população e realização de mutirões nos bairros.

– A Prefeitura de Búzios, por meio da Secretaria de Saúde, realiza durante todo o ano o trabalho de controle de zoonoses, entre eles o trabalho de prevenção a dengue e outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. Faz a visita das residências, em especial onde os registros mostram mais incidência dos casos de dengue nos anos anteriores, e orienta a população. Para o verão, quando ocorrem mais chuvas e aumenta o risco de água parada nas residências, o trabalho de orientação será intensificado e programado mutirões, assim como a conscientização em escolas e unidades de saúde. É importante ressaltar que o combate a dengue para ser eficaz tem de ser um trabalho conjunto entre o Poder Público e a sociedade. Em 2018 foram registrados 9 casos de dengue em Búzios e o objetivo é zerar esse índice em 2019 – afirma a Prefeitura em nota.

Somando os casos de dengue, zika e chicungunya, São Pedro da Aldeia teve 196 registros em 2018. Para este ano, segundo o setor de Vigilância Epidemiológica, “a previsão deste verão é que não aumente, visto que as visitas dos agentes de combate a endemias estão sendo intensificadas no município”.

Em Arraial do Cabo a promessa é intensificar neste período as visitas dos técnicos de combate nas residências. Somente nos distritos, mais de 20 agentes serão disponibilizados para a tarefa. Ainda segundo a Vigilância Epidemiológica, no ano passado foram registrados “cerca de 100 casos” de dengue na cidade.

– Com a chegada do verão estamos intensificando as visitas de casa em casa, além de ter iniciado um mutirão cobrindo todas as áreas dos distritos com uma equipe de mais de vinte agentes só nos distritos. Iniciamos também no ano de 2018 uma equipe educacional ministrando palestras em escolas, associações e condomínios. Ao final do ciclo ainda no verão havendo a necessidade estamos com o UBV (fumacê) pronto para o uso em todo o município. 2018 foi um bom ano, com poucos casos confirmados de dengue e chikungunya, não observando nenhum caso de zika vírus ou febre amarela. Existe a preocupação, sempre nessa época do ano, em virtude das chuvas intercaladas com períodos de sol forte, o que favorece o aumento da população de mosquitos. Contudo estamos confiantes e prontos, nosso serviço é diário e com os trabalhos de conscientização da população podemos repetir os bons números de 2017 e 2018. A divisão de controle de vetores pede o apoio de toda a população cabista e turistas, evitando o acúmulo de água em locais de possíveis criadouros de focos – diz a nota enviada pela Prefeitura de Arraial do Cabo.

Veja também

Compartilhe:  

COMENTÁRIOS

EXPEDIENTE

Rodrigo Cabral

Diretor

Fernanda Carriço

Chefe de Reportagem

fernanda.carrico@folhadoslagos.com

Redação, Administração, Publicidade e Assinatura

Avenida Francisco Mendes 226, loja 06, Centro - Cabo Frio - RJ

Propriedade da Sophia Editora Eireli - ME.

CONTATO

 

Redação

folhadoslagos@ig.com.br redacao@folhadoslagos.com
(22) 2644-4698 - Ramal 206
(22) 99613-2841 | (22) 99933-2196

Publicidade

(22) 2644-4698 - Ramal 215
(22) 99887-3242

Central do Assinante

(22) 2644-4698
(22) 99776-2956